Categoria: Política

Cristiane Brasil é alvo de operação da Polícia Federal contra fraudes no Ministério do Trabalho

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (12), a segunda fase da Operação Registro Espúrio para aprofundar investigações sobre suposta organização criminosa que teria cometido fraudes na concessão de registros de sindicatos pelo Ministério do Trabalho. O alvo desta fase da operação é a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Por meio de sua assessoria, a deputada disse que recebeu os “procedimentos investigativos com surpresa, pois não tem papel nas decisões tomadas pelo Ministério do Trabalho”. “Espero que as questões referentes sejam esclarecidas com brevidade e meu nome limpo”, disse a parlamentar.

A partir do material apreendido na primeira fase da operação, a PF chegou até a deputada. Em análise de conversas de WhatsApp do funcionário do Ministério do Trabalho Renato Araujo Júnior, preso na primeira fase, a PF descobriu que foi a deputada quem o indicou para o cargo de chefia no ministério e quem controlava também a aprovação dos registros sindicais.

Esta fase da operação envolve três mandados de busca e apreensão nas residências e no gabinete da deputada em Brasília e no Rio de Janeiro. Os mandados foram autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte também autorizou medidas cautelares como proibição de frequentar o Ministério do Trabalho e de manter contato com os demais investigados ou servidores da pasta.

A primeira fase da Operação Registro Espúrio foi deflagrada no dia 30 de maio e mirou os deputados federais Paulinho da Força (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB). Além do presidente do PTB e pai de Cristiane Brasil, deputado cassado Roberto Jefferson; o suplente de deputado Ademir Camilo Prates Rodrigues (MDB-MG); e os senadores Dalírio Beber (PSDB-SC) e Cidinho Santos (PR-MT), atualmente licenciado do mandato.

O suposto esquema

Segundo as investigações da Polícia Federal,

  • os registros de entidades sindicais no ministério eram obtidos mediante pagamento de vantagens indevidas;
  • não era respeitada a ordem de chegada dos pedidos ao ministério;
  • a prioridade era dada a pedidos intermediados por políticos;
  • a operação apontou um “loteamento” de cargos do Ministério do Trabalho entre os partidos PTB e Solidariedade.

Com informações do G1/Política 

Maurício Gurgel concede entrevista ao programa Sala de Debate

Eleito vereador mais jovem de Natal no ano de 2009, Maurício Gurgel, hoje pré-candidato a Deputado Estadual pelo PSOL, concedeu entrevista na tarde desta quinta-feira, 07, ao Programa SALA DE DEBATE da Web Rádio São Paulo em São Paulo do Potengi.

Maurício em entrevista nos falou sobre seus projetos políticos que desenvolveu durante o seu mandato no ano de 2009 a 2016 a frente da Câmara de Natal e sobre sua pré-candidatura a Deputado Estadual nas eleições de 2018 no RN.
“Sou pré-candidato a Estadual por entender que precisamos de uma renovação na Assembleia, por que 30% estão lá desde década de 80. Precisamos tirar a velha política e oxigenar novas ideais. Não é trocar um velho por um novo, mas é trocar alguém com novas praticas”, defendeu Maurício.

Perguntado sobre os possíveis nomes que irão disputar o Governo do Estado nas eleições de 2018, Maurício falou sua opinião dos nomes que ai está. “Primeiro que esta cedo para fazer uma avaliação, estamos vendo nas pesquisas de opinião que a maioria da população vai votar Branco ou Nulo. Eu acredito no nosso candidato, Carlos Alberto (PSOL), é um candidato que vai criar corpo. Eu acredito que os candidatos que pertencem as famílias tradicionais que estão ai envolvidos nesse mar de corrupção eles não vão conseguir êxito”.

Clorisa Linhares; “saio de cena do pleito de 2018, mas jamais deixarei o povo do Rio Grande do Norte”

Apontada como uma das pré-candidatas ao Governo do RN pelo Solidariedade nos últimos meses, a vereadora de Grossos, Clorisa Linhares, recebeu a noticia que o partido a qual ela é filiada, decidiu colocar o nome do ex-prefeito de Olho D´água do Borges, o Engenheiro Brenno Queiroga, como o pré-candidato ao Governo.

Sendo assim, Clorisa sai de cena e Brenno entra após o seu nome ter sido escolhido na interna do Partido.

Confira na integra nota de Clorisa: 

Minhas amigas e meus amigos,

Fui informada ontem da decisão do Solidariedade, que optou pela candidatura ao Governo do Estado de Brenno Queiroga, ao qual desejo sucesso nessa empreitada.

Com essa definição, saio de cena do pleito de 2018, mas jamais deixarei o povo do Rio Grande do Norte. Durante um ano, desde que a minha pré-candidatura foi lançada ao Governo, percorri todo nosso Estado. Foi formada uma grande corrente de apoio, pessoas que abraçaram não uma pré-candidata, mas um projeto de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte, uma proposta de reconstrução do nosso Estado. Multiplicadores de um compromisso pelo desenvolvimento. Recebi apoios em todos os municípios e sou grata a cada um, cada uma.

Muitas foram as emoções vividas. Sentimento de alegria por compartilhar e encontrar eco do ideal de fazer uma política voltada para o bem comum, construir um programa de governo de políticas públicas, verdadeiramente, comprometidas com o cidadão.

A cada potiguar minha gratidão e a certeza de que o ideal permanecerá vivo nos nossos corações e no trabalho que continuarei a desenvolver na política do nosso querido Rio Grande do Norte.
Que Deus abençoe a todos nós!

Clorisa Linhares
Vereadora de Grossos

PF pede ao STF quebra de sigilo telefônico de Temer, Moreira e Padilha

O presidente Michel Temer (MDB) é investigado em inquérito que apura se o grupo político dele recebeu 10 milhões de reais em propina da Odebrecht (Evaristo Sá/AFP)

A Polícia Federal solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a quebra do sigilo telefônico do presidente Michel Temer (MDB) e dos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha (MDB), e de Minas e Energia, Moreira Franco (MDB). O pedido foi no âmbito do inquérito aberto a partir das delações premiadas da Odebrecht para apurar um suposto repasse de 10 milhões de reais da empreiteira ao grupo político do presidente, em 2014. Segundo os delatores, o valor foi combinado em um jantar no Palácio do Jaburu, residência oficial do então vice-presidente da República, naquele ano.

O ministro Edson Fachin, relator do inquérito que tramita no STF, será responsável por decidir se acolhe ou não a solicitação da PF. O pedido do sigilo abrange o período em que teriam ocorrido a reunião e os repasses por meio de operadores da empreiteira. Caso Fachin atenda ao pedido dos investigadores, não seria possível recuperar o conteúdo das conversas do presidente e de seus aliados, mas apenas mapear em qual horário e para quem foram feitas ligações.

A PF também pediu a quebra do sigilo telefônico de operadores da empreiteira que dizem ter realizado as supostas entregas do dinheiro. No caso dos 10 milhões de reais supostamente repassados ao grupo político do presidente, delatores da Odebrecht citaram que as entregas foram feitas por um emissário, no Rio Grande do Sul, e no escritório do amigo e ex-assessor de Temer, o advogado José Yunes, em São Paulo.

Depois de se demitir do cargo de assessor da Presidência, em fevereiro de 2017, Yunes disse a VEJA que, a pedido de Eliseu Padilha, recebeu “um pacote” em seu escritório, em setembro de 2014. “Fui mula involuntário”, afirmou o advogado, amigo de Temer há 50 anos. “Padilha me ligou falando: ‘Yunes, olha, eu poderia pedir para que uma pessoa deixasse um documento em seu escritório? Depois, outra pessoa vai pegar’. Eu disse que podia, porque tenho uma relação de partido e convivência política com ele”, relatou.

Pouco tempo depois, Yunes estava em seu escritório quando, disse ele, a secretária informou que um homem chamado “Lúcio” estava ali para deixar um documento. Segundo o advogado, tratava-se de Lúcio Bolonha Funaro, lobista ligado ao MDB e, particularmente, ao ex-deputado Eduardo Cunha. Funaro fechou um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), no qual deu detalhes sobre o caminho do suposto pagamento da Odebrecht aos emedebistas.

Além disso, uma planilha apreendida pela Polícia Federal na 26ª fase da Lava Jato, batizada de Xepa, revelou pagamento de 1 milhão de reais ao codinome “Angorá” na mesma época em que Cláudio Melo Filho, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht, relatou ter encaminhado dinheiro a Eliseu Padilha. O documento atrela a entrega do valor ao operador Antônio Cláudio Albernaz Cordeiro, conhecido como Tonico, em 18 de agosto de 2014.

Sigilos bancário e fiscal já quebrados

No início de março, o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Michel Temer no âmbito do inquérito que investiga irregularidades na edição do Decreto dos Portos, assinado por ele em maio de 2017. A decisão atendeu a um pedido do delegado da Polícia Federal Cleyber Malta, responsável pela investigação. O delegado reiterou a necessidade da quebra de sigilo e disse que a medida era imprescindível para a investigação.

A quebra de sigilo bancário abrange o período entre 2013 e 2017. A solicitação feita pelo delegado, em dezembro do ano passado, diverge do pedido da procuradora-geral da República Raquel Dodge que solicitou quebras de sigilo no âmbito do inquérito dos Portos, mas não incluiu entre os alvos o presidente Temer.

VEJA

Fábio Dantas segue na estrada e visita Médio Oeste com o “Ouvir para Realizar”

O pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSB e vice-governador, Fábio Dantas, marcou presença nesta quarta-feira (06) no Médio Oeste potiguar. Acompanhado do pré-candidato ao Senado pelo PSB José Vieira, ele cumpriu agenda de visitas nos municípios de Upanema e Umarizal.

Pela manhã, em Upanema, Fábio foi recepcionado pelo vereador Ibinha (PR) no Sítio Pereiros, de seu pai Luiz Gambeu. Ele também visitou a Escola Municipal Vicente de Paula Rocha, onde foi recebido pela secretária municipal de Educação Simone Faria, professores, coordenadores, diretores, pais e alunos.

Fábio Dantas ainda esteve no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Upanema (Sindserpup) e conversou com a presidente Edimi Medeiros. Na sequência, ele visitou o pastor da Assembleia de Deus, José Luiz e a Unidade Mista de Saúde Raimundo Nonato Cândido, onde foi recepcionado pela secretária de Saúde de Upanema, Gorete Sales.

A agenda em Upanema foi encerrada na Câmara Municipal. Fábio Dantas e Zé Vieira conversaram o presidente da Câmara, Monthalggan Fernandes (PSB), e com os vereadores Ibinha, Franklin Moura (PRP), Carlim Garcia (PTN) e Higor Tallison (PTN). Os pré-candidatos estavam acompanhados pela liderança Juninho Tavares, do ex-vereador Canindé Rocha, do ex-vereador e ex-prefeito Valério Augusto, além do presidente da Associação da Comunidade do Pereiros, Renê Costa; dos vereadores de Triunfo Potiguar Ceição da Saúde e Necas; do vereador Eney Moura de Serra do Mel; e do vereador de Severiano Melo e presidente da União de Vereadores do Rio Grande do Norte (UVERN), Bruno Melo.

À tarde, a agenda do “Ouvir para Realizar” foi no município de Umarizal. Fábio foi recebido pelos vereadores Washington Sales, Marcos de Antonio de Neo, Meyre Câmara e Bazoca, do PSB, Maykon Nunes (PTdoB), Gilmar Freitas (PR), Chico de Brancar (DEM) e Jatao da Radio (DEM). Também participaram do encontro o secretário da Operação Carro-Pipa e ex-vereador Zé Moura.

“Esse encontro foi muito relevante porque recebemos um documento contendo uma série de reivindicações dos vereadores de Umarizal, questões que irão nortear ações do nosso Plano de Gestão para o município e para a Região”, avaliou Fábio.

O pré-candidato ao Governo ainda concedeu entrevista à Rádio Fraternidade 104.9 FM de Umarizal, ao programa Evidência, com Agmar Dutra, e à Rádio Vale do Apodi 98.3 FM, em Apodi, ao programa 60 Minutos, apresentado por Fernando Magalhães. O vereador de Natal Dickson Nasser Júnior (PSDB) esteve com Fábio em Apodi, juntamente com a vice-prefeita Hortência Regalado (PSDB), de quem recebeu apoio para a sua pré-candidatura ao Governo do RN.

Flávio Rocha defende “plano agressivo” a favor das privatizações

Foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press

Pré-candidato a Presidência da República pelo PRB, o empresário potiguar Flávio Rocha afirma que não deixou o comando da rede varejista Riachuelo para ser um coadjuvante na disputa pelo Palácio do Planalto. Apontado como o sonho de consumo de outros pré-candidatos para ser o vice na chapa, ele detalhou trabalhará pelos milhões de brasileiros que estão órfãos politicamente. “Gosto muito da analogia da carruagem. Ela tem força e tração que são os trabalhadores que pagam a farra da corte que está sentada em cima”, afirmou.

Rocha destacou que atingiu sucesso empresarial porque sempre esteve preocupado com a “dona Maria”. “A empresa bem sucedida é a focada na dona Maria. Ela é a pessoa mais importante e se está feliz eu também estou. Vamos dar as costas para a carruagem e decidir tendo em vista o que as donas Marias querem para a saúde, para a educação e para a segurança”, disse.

O pré candidato também detalhou que é totalmente favorável a privatização de estatais, entre elas Petrobras, Caixa Econômica Federal e Correios. “Temos estado demais. Essa carruagem que consome 50% do esforço de produção do Brasil diz respeito a imensa fatia do estado que não deveria existir”, comentou.

Rocha ainda afirmou que trabalha em busca de um estado mínimo, mas preservará as carreiras de estado, sobretudo as que têm trabalhado para coibir ou investigar os escândalos de corrupção. “O meu diagnostico é que sobra estado onde não deve e falta onde precisa existir. Esse conceito não vai chegar as tarefas típicas, mas não ao governo ser dono de posto de gasolina e de empresa de entrega de encomenda”, criticou.

Correio Braziliense

Vereadora Ana Paula rompe com a gestão Álvaro Dias; Veja nota de esclarecimento

Alegando que foi surpreendida por um movimento coronelista, vulgar, subserviente e claramente articulado no âmbito da Prefeitura de Natal, a vereadora Ana Paula, e 2° Secretária da Câmara de Natal, rompe com o Prefeito Álvaro Dias.

Veja nota divulgada pela Vereadora para a população Natalense:

NOTA DA VEREADORA ANA PAULA À POPULAÇÃO NATALENSE

1- Considerando que fui surpreendida por um movimento coronelista, vulgar, subserviente, claramente articulado no âmbito da Prefeitura do Natal, apelidado de “realinhamento da bancada”, quando a maioria dos vereadores foi submetida a um confessionário ideológico constrangedor e humilhante, pelo Sr. Prefeito;

2- Considerando que nesse confessionário foi exigida obediência absoluta às orientações emanadas do Chefe do Executivo e aceitação dos pré-candidatos referendados pela gestão municipal (incluindo aí um filho do Prefeito) para as eleições de outubro próximo, sendo taxados de traidores os que não concordassem;

3- Considerando que jamais aceitarei abrir mão das prerrogativas de meu mandato caracterizadas pela liberdade de opinião, autonomia de pensamento e pelo princípio republicano de independência para defender os interesses da população que tenho a honra de representar na Câmara Municipal;

4- Considerando os princípios que sempre nortearam toda a minha vida e que foram aprovados pela população natalense quando me elegeu a 7ªvereadora mais votada para o primeiro mandato, concedendo-me 5.465 votos; acreditou em uma jovem mulher que vem desempenhando a sua missão na Câmara Municipal de Natal com determinação, coerência e expressivo alcance social;

ANUNCIO meu rompimento com a administração do prefeito Álvaro Dias, do MDB. Decisão que tomo para permanecer ao lado dos meus eleitores e da população de Natal negando-me a ceder aos caprichos e aos interesses coronelistas do Sr. Prefeito para ficar ao lado daqueles que me confiaram o seu voto e que esperam de mim o cumprimento dos compromissos assumidos na campanha de defender os interesses maiores da Cidade do Natal e fiscalizar o Executivo no desempenho de suas funções.

Ana Paula
Vereadora de Natal – 2ª secretária da Câmara Municipal de Natal

Mais quatro vereadores acompanham decisão de Júlia Arruda e rompem com Álvaro Dias

Além da vereadora Julia Arruda, os vereadores Ana Paula, Luiz Almir, Chagas Catarino e Dinarte Torres têm definido que não farão mais parte do grupo de sustentação do prefeito Álvaro Dias.

Assim a como a parlamentar do PDT, eles também vão romper com o prefeito de Natal.

Segundo dois vereadores com os quais o blog conversou, o atual prefeito trata os vereadores como se estivesse lidando com pessoas desqualificadas e olha para todos com arrogância e tentando determinar o que cada um deve fazer.

As informações reforçam ainda mais a situação denunciada pela vereadora Júlia Arruda, que rompeu com o prefeito e comunicou suas decisões em nota enviada à população.

BLOG DO BG

STF começa a julgar validade do voto impresso nas eleições de outubro

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar há pouco um pedido liminar da Procuradoria-Geral da República (PGR) para revogar o uso do voto impresso nas eleições de outubro. O relator da ação é o ministro Gilmar Mendes.

Na ação, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, autora da ação direta de inconstitucionalidade (ADI), sustenta que o voto impresso “causará transtornos ao eleitorado, aumentará a possibilidade de fraudes e prejudicará a celeridade do processo eleitoral”, sendo inconstitucional também por ter o potencial de comprometer o sigilo do voto.

Raquel pediu uma liminar (decisão provisória) urgente para revogar a implementação do voto impresso, previsto na Lei 13.650/2015 (minirreforma eleitoral). Desde 2015, a lei prevê que o voto impresso seja 100% implementado nas eleições deste ano, mas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou ao Congresso, com anuência do Tribunal de Contas da União (TCU), não ter condições técnicas nem dispor em orçamento os R$ 2 bilhões previstos para isso.

O TSE assinou, em 30 de abril, um contrato de R$ 57 milhões para instalar impressoras em apenas 30 mil urnas eletrônicas, o que representa 5% do total.

AGÊNCIA BRASIL

Vereadora Júlia Arruda rompe com Álvaro Dias; Veja nota à população natalense

NOTA À POPULAÇÃO NATALENSE

1- Em respeito aos meus princípios, com a coerência, firmeza e transparência que sempre marcaram minha atuação na Câmara Municipal de Natal e que são as bases da minha conduta e da minha vida pública;

2- Alinhada aos interesses da população natalense, que me confiou três mandatos, tendo sido inclusive a primeira mulher reeleita vereadora na história da nossa cidade, e com o compromisso de continuar sendo a diferença numa política marcada por práticas ainda tão arcaicas;

3- Convicta de que nunca aceitei, não aceito e jamais aceitarei abrir mão de exercer meu mandato de acordo com o que acredito, de que pressão nenhuma foi ou será capaz de violar meus princípios e de que minha autonomia é inegociável;

4- E após ser surpreendida por um movimento claramente articulado e rasteiro, uma verdadeira “chave de roda” apelidada pela gestão de “realinhamento da bancada”, que levou vereadores das mais diversas matizes políticas para um constrangedor confessionário com o Sr. Prefeito.

Anuncio meu rompimento com a administração do prefeito Álvaro Dias, do MDB. Decisão que tomo com a mesma tranquilidade que sempre caracterizou meu posicionamento na Câmara Municipal de Natal, e com coragem e disposição renovadas para seguir FAZENDO A DIFERENÇA. Um trabalho que me permite ser bem recebida nos quatro cantos da cidade, de cabeça erguida, olhando nos olhos das pessoas, e com a certeza de que estou do lado certo. Porque, para mim, respeito e credibilidade não são moeda de troca.

Júlia Arruda
Vereadora de Natal