Categoria: Policiais

Policias civis do RN suspendem paralisação e marcam ato para quinta-feira

Os policiais civis do Rio Grande do Norte se reuniram em Assembleia Geral, na noite desta terça-feira, 5, e decidiram suspender o movimento iniciado pela manhã. No entanto, ficou deliberado que, na próxima quinta-feira, 7, será realizado um grande ato para aguardar o desfecho das negociações com o Governo do Estado.

Durante todo o dia desta terça-feira, a diretoria do Sindicato esteve reunida com a Secretaria de Administração, Secretaria de Segurança e Delegacia Geral trabalhando em um entendimento para proposta a ser apresentada aos Agentes e Escrivães.

Pela manhã, o Governo chegou a colocar na mesa duas propostas distintas, porém, após vários apontamentos do SINPOL-RN, a equipe do Executivo apresentou uma terceira proposta, que foi apreciada pela categoria e aprovada nesta noite.

“Como essa proposta também passará pelo crivo do Comitê Gestor do Governo do Estado, os policiais civis decidiram suspender o movimento nesta quarta-feira, 6. Na quinta-feira, voltaremos a nos reunir em um grande ato no Centro Administrativo. Na ocasião, ficou acordado que, às 8h, o Governo nos trará a definição da proposta baseada no entendimento construído”, explica Nilton Arruda.

O presidente do SINPOL-RN completa: “tivemos um dia extremamente cansativo, mas a categoria decidiu por flexibilizar ao máximo, cedeu na maioria dos pontos e, agora, espera que o Governo concretize a proposta elaborada. Além dos fatores técnicos, existe a questão política, que a própria governadora precisa se posicionar até a quinta-feira para concluirmos esta fase da negociação e avançarmos na reestruturação da carreira”.

Com a suspensão do movimento, as delegacias voltam a funcionar normalmente em todo o Rio Grande do Norte nesta quarta-feira.

SINPOL RN

Policiais civis recusam proposta do Governo e votarão indicativo de greve no RN

Policiais civis recusam proposta do Governo e votarão indicativo de greve no RN

Os Policiais Civis do Rio Grande do Norte recusaram uma proposta apresentada pelo Governo do Estado, nesta quinta-feira, 31. A categoria se reuniu e decidiu não aceitar o plano criado pela equipe do Executivo. Com isso, ficou deliberado por uma assembleia com indicativo de paralisação na próxima segunda-feira, 4.

Todos os agentes e escrivães devem se concentrar na sede do SINPOL-RN, a partir das 8h da segunda. Na ocasião, vão deliberar se paralisam as atividades.

“Infelizmente, esgotamos o prazo firmado em um termo de compromisso assinado pelo Governo que estabelecia este dia 31 de outubro como limite para conclusão dos trabalhos, objetivando envio de um projeto para Assembleia Legislativa. Porém, a proposta apresentada hoje não foi criada levando em conta os pleitos apresentados pelo SINPOL-RN. A categoria entendeu como desrespeito e decidiu rejeitar por unanimidade”, comenta Nilton Arruda.

De acordo com o presidente do sindicato, os policiais civis deliberaram por exigir, a partir de agora, a presença da governadora Fátima Bezerra. “O prazo acabou e, agora, é uma questão de vontade política. Os secretários já deixaram claro que não podem avançar mais. Então, ou a governadora assume a responsabilidade do cargo que ocupa e passa a negociar pessoalmente conosco ou infelizmente a mobilização terá continuidade”, completa.

Grande Ponto

Fátima vai isentar de ICMS policial na compra de armas de fogo

Em alusão ao dia das Polícias Civil e Militar, a Assembleia Legislativa realizou sessão solene nesta segunda-feira (22) para homenagear oficiais, praças, delegados, agentes e escrivães das corporações. A solenidade, de iniciativa do deputado Kelps Lima (SDD), reuniu parlamentares, policiais e familiares dos homenageados. Na oportunidade, o secretário anunciou que a governadora Fátima Bezerra (PT) assegurou a regulamentação da lei, de autoria de Kelps Lima, que concede isenção de ICMS na aquisição de armas de fogo por parte dos agentes de Segurança Pública.

“O policial tem que ser tratado como servidor público especial, pois é ele quem materializa aquilo que a Constituição Federal tratou como o único monopólio do Estado, que é o uso exclusivo da força. Não dá para banalizar o policial e tratá-lo como algo corriqueiro na estrutura do Estado. Enquanto não tivermos esse olhar, as polícias vão continuar atuando sem a devida estrutura”, disse Kelps parabenizando os policiais presentes na sessão.

Em nome dos homenageados, o secretário de Segurança Pública e Defesa Civil do Estado, Coronel Araújo, enalteceu o papel das polícias e agradeceu a distinção da Casa Legislativa. “Divido essa homenagem com todos os policiais norte-rio-grandenses. Recebo a distinção por representar a estrutura da secretaria, mas sei que as honras se devem aos homens e mulheres que estão de braços abertos, 24h por dia, em todo o solo potiguar. A abnegação deles é que faz com que tenhamos ânimo e energia para trabalharmos”, declarou ele.Foram homenageados ainda, durante a sessão, o coronel Raimundo Aribaldo Mendes de Souza, coronel Marcus Vinícius Silva da Cruz, delegado Raimundo Rolim, subtenente Eliabe Marques da Silva, sargento Luciene Teixeira Lopes, sargento Carlos Mariel Borges, cabo Glaucia Paiva Virginio, cabo Tony Magno Fernandes Nascimento, escrivão Raimundo Pinheiro da Silva Filho, agente Alexandre Silva, agente Cleiton Jadson Silva Rolim, agente Harrison Silva Torres, agente Jair Dantas de Lima, soldado Márcio André da Silva e a delegada Paola Benevides de Castro.

Os deputados Coronel Azevedo (PSL), Ubaldo Fernandes (PTC), Hermano Morais (MDB), George Soares (PR) e Francisco do PT também se fizeram presentes à solenidade.

GRANDE PONTO

‘Extermínio de policiais é falência do Estado’, afirma Carlos Eduardo

FOTO: ALBERTO LEANDRO/ARQUIVO/PORTAL NO AR

Em sua maratona pelo Alto Oeste no fim de semana, o candidato a governador pela coligação 100%RN, ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT), demonstrou indignação com a matança de policiais que já vitimou, neste ano, 21 profissionais da segurança no Rio Grande do Norte. “O extermínio de policiais é a falência do Estado”.

O Rio Grande do Norte é o Estado mais violento do Brasil com cerca de 1.100 assassinatos em 2018. “É uma situação trágica e incontrolável por este governo. Cada um de nós pode ser a próxima vítima”, protestou o candidato.

O último caso, o do cabo PM Ildônio José, assassinado por bandidos quando estava em um ônibus de estudantes universitários, foi comentado pelo candidato ao Governo do RN. “Este policial é um herói, mas precisamos preservar vivos os nossos heróis. Ele foi surrado, humilhado e executado friamente por criminosos. Levou um tiro de escopeta na cabeça. Tipo de situação inaceitável”.

Carlos Eduardo defende rigor e garante o restabelecimento da ordem quando for governador. “Quem mata policial, não tem limites. A polícia precisa ser respeitada e não caçada. Essa é uma das provas de Estado inerte e indiferente. Creio em Deus, defendo a vida e a liberdade, mas nossos policiais terão em mim apoio para acabar com esse pesadelo. Motivados, equipados e treinados. Prestigiados. Tratando bandido como bandido deve ser tratado e protegendo o cidadão de bem. Matar policial é matar a defesa da sociedade”.

Portal no AR

Policiais e bombeiros decidem paralisar atividades no Dia da Independência

Reunião teve como pauta principal o atraso no pagamento do décimo terceiro salário referente ao ano de 2017. (Daísa Alves / Letra A)

Os policiais e bombeiros militares estaduais, oficiais e praças, decidiram em assembleia, na tarde desta segunda-feira, 13, que irão paralisar suas atividades no próximo 7 de setembro, data em que se comemora a Independência do Brasil.

A reunião teve como pauta principal o atraso no pagamento do décimo terceiro salário referente ao ano de 2017. Os agentes decidiram que, caso o salário não seja pago antes do dia 7 de setembro, o Estado ficará sem policiamento, e os membros da categoria não participarão dos tradicionais desfiles do Dia da Independência.

“Ainda esta semana iremos enviar um documento oficial comunicando os comandos e Governo sobre a decisão desta Assembleia, e, se o pagamento não for efetivado, os policiais e bombeiros militares vão parar, e isso inclui a nossa participação no desfile cívico”, disse a subtenente Márcia Carvalho, presidente em exercício da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN.

A decisão foi tomada em assembleia realizada na sede da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), localizada no Alecrim.

De acordo com a associação, os pagamentos não foram cumpridos na totalidade e não alcançaram os militares estaduais.

“Os policiais e bombeiros militares são os responsáveis diretos pela segurança do estado, são os que estão mais expostos, com suas vidas em risco todos os dias. No entanto, também são desvalorizados com os piores salários e piores condições de trabalho entre os servidores estaduais. O pagamento do salário em dia e a efetivação do décimo terceiro são ações mínimas para a categoria diante de todo o nosso contexto”, concluiu Márcia.

Agora RN