Categoria: Manifestação

Servidores realizam ato unificado nesta terça na Governadoria

Nesta terça-feira, 27 de novembro, os servidores estaduais realizarão ato unificado em frente à Governadoria, às 9h, como deliberação do Fórum Estadual dos Servidores do Rio Grande do Norte, após reunião no último dia 31 de outubro.

As principais reivindicações dos servidores são o pagamento dos salários em dia, o restante do 13º de 2017 e o de 2018, e contra a reforma da Previdência.

No dia 1º de novembro, o Fórum protocolou ofício na Governadoria solicitando uma audiência com o governador Robinson Faria (PSD), para tratar sobre o atraso dos salários.

Desde 2016 a atual gestão atrasa os salários dos servidores. Segundo levantamento do Fórum, para regularizar o restante do 13º, faltam R$ 140 milhões, e faltam as folhas de novembro e dezembro, que custam R$ 450 milhões cada.

Policiais e bombeiros decidem paralisar atividades no Dia da Independência

Reunião teve como pauta principal o atraso no pagamento do décimo terceiro salário referente ao ano de 2017. (Daísa Alves / Letra A)

Os policiais e bombeiros militares estaduais, oficiais e praças, decidiram em assembleia, na tarde desta segunda-feira, 13, que irão paralisar suas atividades no próximo 7 de setembro, data em que se comemora a Independência do Brasil.

A reunião teve como pauta principal o atraso no pagamento do décimo terceiro salário referente ao ano de 2017. Os agentes decidiram que, caso o salário não seja pago antes do dia 7 de setembro, o Estado ficará sem policiamento, e os membros da categoria não participarão dos tradicionais desfiles do Dia da Independência.

“Ainda esta semana iremos enviar um documento oficial comunicando os comandos e Governo sobre a decisão desta Assembleia, e, se o pagamento não for efetivado, os policiais e bombeiros militares vão parar, e isso inclui a nossa participação no desfile cívico”, disse a subtenente Márcia Carvalho, presidente em exercício da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN.

A decisão foi tomada em assembleia realizada na sede da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), localizada no Alecrim.

De acordo com a associação, os pagamentos não foram cumpridos na totalidade e não alcançaram os militares estaduais.

“Os policiais e bombeiros militares são os responsáveis diretos pela segurança do estado, são os que estão mais expostos, com suas vidas em risco todos os dias. No entanto, também são desvalorizados com os piores salários e piores condições de trabalho entre os servidores estaduais. O pagamento do salário em dia e a efetivação do décimo terceiro são ações mínimas para a categoria diante de todo o nosso contexto”, concluiu Márcia.

Agora RN

TST declara greve dos petroleiros ilegal e impõe multa diária

A Advocacia-Geral da União (AGU) informou que o Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerou ilegal a greve dos petroleiros, marcada para esta quarta-feira. O tribunal estipulou multa diária de 500 mil reais, em caso de descumprimento.

Para o governo, a paralisação dos petroleiros, neste momento, tem “natureza político-ideológica”. Na ação, para justificar que a greve é política, a AGU e a Petrobras informam que os petroleiros pedem, por exemplo, a demissão do presidente da empresa, Pedro Parente.

A AGU argumenta ainda que o acordo coletivo celebrado entre a empresa e seus funcionários está vigente até 2019, o que comprovaria o caráter político e não trabalhista da paralisação.

Para a advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, “a sociedade brasileira não pode ser penalizada com a ausência de serviços essenciais por causa de uma greve que não respeita as exigências legais”.

A ministra classifica a paralisação ainda como “oportunista” e considera “inadmissível” a ação de determinado grupo prejudicando um serviço público essencial, trazendo prejuízo para toda a sociedade.

VEJA

Greve dos caminhoneiros; RN 120 em São Paulo do Potengi é bloqueada no fim da tarde desta terça, 29

No fim da tarde desta terça-feira, 29, a RN 120 que fica localizado no município de São Paulo do Potengi e que liga outras cidades da região Potengi, foi completamente bloqueada. Com o bloqueio, os veículos que na RN trafegam ficaram totalmente impedidos de passarem. A Associação dos Caminhoneiros do Potengi (ACP) estava presente juntamente com o grupo de Trilheiros do Potengi.

Há nove dias os motoristas de caminhão realizam protestos em diferentes estradas do país contra a alta de combustíveis. Na tarde desta terça (29), foi enviado um comboio até João Câmara, com carros do Batalhão de Choque da PM, Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Exército e Corpo de Bombeiros. O objetivo da tropa era retirar de lá os manifestantes e desbloquear a estrada.

Foto: Lucas Tavares
Foto: Lucas Tavares

Greve dos caminhoneiros; Caiçara do Rio do Vento tem BR bloqueada pela população

Com o nono dia de greve dos caminhoneiros em vários estados do Brasil, a população da cidade de Caiçara do Rio do Vento bloqueou na manhã desta terça-feira, 29, a BR 304, em apoio ao caminhoneiros.

“A população se juntou e resolvemos fazer a movimentação, em apoio a greve dos caminhoneiros, porque a categoria deles estão lutando pelos direitos de todos nós e já estamos cansados de pagar a conta da corrupção no Brasil. Recebemos apoio de alguns motoristas que trafegam na BR, desciam dos carros e se juntaram ao movimento”, disse Gilvanda ao nosso Blog.

Palavras como “Fora Temer” foram ditas na manifestação.

O Blog segue acompanhando os bloqueios nas principais cidades da Região Potengi.

 

Trilheiros de São Paulo do Potengi farão paralisação na tarde desta terça-feira, 29

Os trilheiros de São Paulo do Potengi farão na tarde desta terça-feira, 29, uma paralisação na entrada da cidade em apoio aos caminhoneiros. O ato acontece a partir 14h no retorno de dado.

Manifestações de caminhoneiros entram no quarto dia em todo o país

Os caminhoneiros entraram hoje (24) no quarto dia de manifestações contra o preço elevado dos combustíveis. No Rio de Janeiro, a categoria faz atos de protestos em 14 pontos em cinco rodovias federais que cortam o estado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a maioria das manifestações ocorre nos acostamentos, onde os caminhoneiros param os veículos em fila.

Mas, a Via Dutra (BR-116), no km 204, em Seropédica, está apenas com uma faixa liberada, a da esquerda. O tráfego é lento nesse trecho, assim como em Barra Mansa, na altura dos km 267, 269, 274 e 276.

Outros pontos de manifestação são: BR-101 Norte (em Campos, no km 75); BR-101 Niterói-Manilha (Itaboraí, entre kms 296 e 297); BR-493 (Itaboraí, próximo a Trevo da Manilha); BR-393 (em Paraíba do Sul, no km 182; em Volta Redonda, no km 281; e em Barra do Piraí, no km 247); BR-465 (em Nova Iguaçu, no km 17) e BR-116 Rio-Teresópolis (em Guapimirim, no km 104, e, em Teresópolis, no km 54).

A PRF informou que multará qualquer veículo que, deliberadamente, restringir o tráfego. A multa chega a R$ 5.689,40.

Consequências

A paralisação dos caminhoneiros tem provocado desabastecimento de combustíveis e de alimentos em diversos estados. De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Município do Rio de Janeiro (Sindcomb), ao menos metade dos postos da capital estará hoje (24) sem algum dos três combustíveis: gasolina, diesel ou etanol. Em alguns postos de Brasília já falta álcool.

O problema afeta também a operação dos ônibus. Um levantamento da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor), por exemplo, calculou que 40% da frota de ônibus não circularam na manhã de ontem por indisponibilidade de combustível. A previsão é que hoje até 70% dos ônibus fiquem na garagem.

Já o Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio de Janeiro (Rio Ônibus) afirmou que, na capital, quase 30% da frota não circularam ontem. A BRT Rio, que usa os corredores exclusivos de ônibus, informou que hoje haverá redução da frota, por causa do problema de abastecimento de combustível. Com isso, os intervalos vão ter grandes alterações. Algumas estações estão fechadas.

Os produtos comercializados nas Centrais de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro (Ceasa), principal centro de distribuição de hortifrutigranjeiros no estado, tiveram uma grande alta de preços. A batata-inglesa foi o produto com o maior aumento, assim como a batata-doce, cenoura e morango. Nessa quarta-feira, por exemplo, o preço da batata-inglesa lisa (saco de 50 Kg), que custava na média de R$ 74 na semana passada, aumentou para R$ 350 – alta de 373%. Já a batata-inglesa comum (Saco 50 Kg) passou de R$ 64 para R$ 300 (variação de 369%).

AGÊNCIA BRASIL

VÍDEO NOTÍCIA: Manifestação em São Paulo do Potengi

Crédito: Lucas Tavares

Na manhã desta sexta-feira, 04, por volta das 12h da manhã, diante do fato ocorrido na noite desta quinta-feira, 03, aonde veio a obtido a garota Esthefany de apenas 2 anos, a população de São Paulo do Potengi foram as ruas protestar o ocorrido e reivindicar médicos para o Hospital Regional do município. A manifestação aconteceu em frente ao Banco do Brasil de São Paulo do Potengi.

Palavras de ordens foram ditas pelos populares e várias pessoas se solidarizaram com a família.