Categoria: Greve

Policiais e bombeiros param as atividades nesta segunda-feira (17)

Em mais um encontro, o Governo do Estado não apresentou propostas concretas em relação à atualização do salário dos policiais e bombeiros militares do RN. A reunião aconteceu nesta sexta-feira (14) entre os representantes dos militares e os secretários de Planejamento e Finanças, e de Administração.

Dessa forma, a mobilização marcada para esta segunda-feira (17) está confirmada. No dia, os militares estaduais se apresentarão às 8h em frente à Governadoria.

De acordo com o subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), “tentamos de todas as formas, porém o Governo continua resistindo com a alegação da crise fiscal, mas que só existe para alguns setores”, expõe.

O déficit salarial dos militares atualmente chega a 60,48% e a categoria não recebe ao menos a reposição inflacionária há cinco anos, argumenta o presidente. Além disto, os militares do RN possuem o pior salário inicial da Federação, na carreira policial, e, ainda, o pior salário entre as demais forças de segurança do RN.

Decisão em Assembleia

No dia 31 de maio, os militares estaduais deliberaram por unanimidade a interrupção das atividades a partir na segunda-feira (17). A decisão foi tomada em Assembleia Geral Unificada com a presença de praças e oficiais. A deliberação acompanhou o que foi aprovado em assembleias realizadas no interior do estado, com militares das regiões de Nova Cruz, Currais Novos, Caicó, Pau dos Ferros, Mossoró e Santa Cruz.

Sesed irá ativar Centro de Comando para monitorar protesto em Natal

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) irá monitorar o protesto intitulado Greve Geral, que acontece nesta sexta-feira (14), em Natal. Para isso, a Secretaria irá ativar, a partir das 14h, o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR).

Estarão presentes: Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Civil, Instituto Técnico e Científico de Perícia, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana; Guarda Municipal.

Greve vai afetar serviços dos bancos, transporte e escolas; confira o que para

A greve geral convocada para esta sexta-feira, 14, vai alterar os serviços, o trânsito e a rotina dos moradores de Natal. Diversas categorias vão aderir ao movimento, desde professores, bancários, policiais civis e rodoviários, o que vai fazer com que sistema público de transporte de ônibus, bem como agência bancárias não abram as portas e nem mesmo escolas públicas tenham aulas.

O ato político, que é organizado por diversas centrais sindicais, está previsto para se iniciar às 15 horas. Em Natal, o ponto de concentração será o cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira, nas imediações do shopping Midway Mall.

A pauta principal da greve geral, segundo centrais sindicais, é manifestar repúdio à proposta do governo federal para a reforma da Previdência. Os grupos sindicais também protestam contra o contingenciamento na Educação. Ainda na capital potiguar, após a concentração, haverá uma caminhada até a Praça da Árvore, em Mirassol, onde ocorrerá um ato público.

As agências bancárias – públicas e privadas – estarão fechadas durante o dia todo. Os trabalhadores do setor farão atos em frente de unidades bancárias durante a manhã, e depois, à tarde, o grupo vai seguir para a concentração em frente ao Midway Mall.

As escolas públicas de Natal e as instituições federais de ensino (UFRN e IFRN) não terão aulas. O sindicato dos Docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Adurn) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do (Sinte) aderiram à greve. A Secretaria Estadual de Educação (Seec) informou as aulas estão mantidas, mas vai respeitar a decisão das escolas que decidiram parar. Os colégios particulares funcionarão normalmente, mas as provas e exames marcados para esta sexta serão remarcados.

Os servidores da Polícia Civil também irão participar do ato público. A programação é de que delegacias funcionem em regime de plantão, atendendo apenas casos de flagrantes. Uma manifestação está marcada para as 8h, em frente à sede do Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte (Sinpol), no bairro de Cidade Alta.

O Sindicato dos Servidores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde) também irão participar das atividades. Serão promovidas duas atividades ao longo desta sexta. Ainda pela manhã, os servidores realizam protesto em frente à Prefeitura do Natal. A categoria cobra o pagamento de gratifi cações por parte do Município. À tarde, os trabalhadores da saúde irão se somar aos demais manifestantes para a greve geral. Os serviços nos hospitais públicos não serão alterados.

A Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) anunciou que nesta sexta-feira, 14, o sistema público de ônibus vai operar com 40% da frota. A redução da oferta acontece por conta da adesão às manifestações por parte do Sindicado dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Rio Grande do Norte (Sintro). Será autorizada a operação dos permissionários do transporte opcional no mesmo itinerário das linhas de ônibus.

Ônibus urbanos terão apenas 40% da frota hoje

Por outro lado, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos de Natal (CBTU) informou que 100% das viagens do sistema de trens urbanos estarão garantidas nesta sexta-feira na Grande Natal, nas linhas Norte e Sul.

Polícia Militar vai acompanhar protestos

A Polícia Militar terá um esquema especial para acompanhar as manifestações de sexta-feira. O efetivo contará homens de batalhões localizados nas áreas próximas das manifestações e de integrantes de grupos especializados da PM. A mobilização terá auxílio da Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e de agentes da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). Segundo a Polícia Militar, as atividades serão iniciadas a partir da 11h. No entanto, o efetivo irá se deslocar para área de concentração da greve geral às 15h.

O QUE NÃO VAI FUNCIONAR NA GREVE GERAL?

EDUCAÇÃO

Escolas públicas estaduais e municipais não terão aulas. UFRN e IFRN também suspenderam as atividades letivas.

SEGURANÇA

Polícia Militar vai trabalhar normalmente. As delegacias da Polícia Civil irão funcionar em regime de plantão.

BANCOS

As agências bancárias – públicas e privadas – não funcionarão nesta sexta-feira.

TRANSPORTE

Ônibus funcionarão apenas com 40% da frota; CBTU garante 100% dos trens funcionando.

Agora RN

Após cortes na educação, governo Bolsonaro enfrenta hoje 1ª greve nacional

Imagem: Marcelo Justo/UOL

Os cortes anunciados para a área da educação são tema do primeiro grande protesto contra o governo Jair Bolsonaro (PSL), que acontece hoje nas principais cidades de 26 estados e no Distrito Federal.

Professores, estudantes e trabalhadores da educação devem ir às ruas, desde a manhã desta quarta-feira, em defesa das universidades federais, da pesquisa científica e do investimento na educação básica.

As manifestações acontecem após o MEC (Ministério da Educação) anunciar um congelamento orçamentário que atinge recursos desde a educação infantil até a pós-graduação, com suspensão de bolsas de pesquisa oferecidas pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Nas universidades federais, o bloqueio anunciado foi de 30% dos recursos destinados a gastos discricionários (como água, luz e serviços de manutenção).

Também hoje o ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado para prestar esclarecimentos sobre os cortes na Câmara. Anteriormente, ele havia apenas sido convidado para falar em uma comissão. Agora, após a aprovação no plenário, ele é obrigado a comparecer.

Centrais sindicais já haviam convocado, para a mesma data, um protesto contra a reforma da Previdência. Para Antonio Gonçalves, presidente do Andes (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), o anúncio dos cortes fez com que o movimento pela educação ganhasse “mais corpo”.

“O objetivo é barrar a política educacional do governo, reverter os cortes e ampliar o investimento na educação pública e gratuita”, diz. “Não estamos hierarquizando pautas. A gente vai para a rua em defesa da educação pública e contra a reforma da Previdência.”

Uol

Greve dos caminhoneiros deixa Rio em estado de atenção

A cidade do Rio de Janeiro continua em estágio de atenção por conta da greve dos caminhoneiros, que compromete a distribuição de combustíveis, alimentos e outros produtos. A prefeitura entrou em estágio de atenção na tarde de sexta-feira (25).

O sistema de corredor exclusivo de ônibus (BRT) informou que operará com 35% de sua frota hoje (28), ou seja, 125 ônibus articulados circularão em dez linhas. De acordo com a empresa que administra o sistema, BRT Rio, as companhias consorciadas ao BRT receberam combustível na noite de ontem.

Ainda não há informação sobre a situação dos ônibus regulares. A prefeitura informou que as empresas conseguiram abastecer 40% de suas frotas.

Barcas

A CCR Barcas, que opera o sistema hidroviário de passageiros na Baía de Guanabara, informou que aumentou o intervalo entre as viagens em razão da falta de combustível. O intervalo das viagens na estação Araribóia, a principal estação de ligação de Niterói com o Rio, será de 20 minutos no horário do rush.

A linha Charitas-Praça XV não terá as viagens de 10h30 e de 11h30. Já a linha Praça XV-Charitas suspendeu as viagens das 11h e de meio-dia. Na linha Cocotá-Praça XV, foram suspensas as viagens das 7h e das 9h20. Já o trajeto Praça XV-Cocotá não terá as viagens das 17h30 e das 19h50.

AGÊNCIA BRASIL