Categoria: Futebol

ABC sofre, mas vence Santa Cruz de Natal por 1 a 0 e segue vivo na Copa RN

Pedro Vitorino / Agência PhotoPress

O ABC enfrentou o Santa Cruz de Natal neste domingo, 17, na Arena das Dunas, em jogo válido pela 6ª rodada do returno do Estadual, e conseguiu a vitória pelo placar de 1 a 0. O gol da vitória foi marcado por Neto, aos quatro minutos do primeiro tempo.

Depois de cruzamento que partiu da esquerda com o lateral Jonathan, Rodrigo Rodrigues tentou de cabeça, a bola explodiu na trave e, no rebote, Neto apareceu para completar para o fundo das redes. Foi o único gol registrado ao longo dos 90 minutos de jogo.

Com o triunfo, o Alviengro chegou aos sete pontos conquistados e ficou na 4ª colocação na classificação. Já o Santa Cruz de Natal continuou com três pontos, na sétima colocação. A próxima partida do ABC na competição está marcada para a quarta-feira, 20, contra o ASSU, às 20h30, no Frasqueirão. Com informações do Agora RN.

Ubaldo Fernandes entrega comenda Marinho Chagas a atletas natalenses


O jogador mais famoso do Rio Grande do Norte, o ex-lateral-esquerdo Marinho Chagas, será homenageado pela primeira vez pela Câmara Municipal de Natal. Por propositura do vereador Ubaldo Fernandes (PTC), serão entregues na próxima terça-feira (03) as Comendas do Mérito Desportista Marinho Chagas a diversos atletas que se destacaram em suas modalidades esportivas no Rio Grande do Norte. “Queremos perpetuar a memória desse grande jogador, ressaltando a importância da prática desportiva como fator transformador na vida de milhares de pessoas. Vamos enaltecer os trabalhos de desportistas, técnicos, profissionais de Educação Física e entidades que se sobressaíram pelos serviços prestados ao município de Natal na área do esporte”, explicou Ubaldo Fernandes.

A cerimônia acontece às 18h30, no Plenário Érico Hackradt, da Câmara Municipal. Entre os homenageados com a comenda estarão o ex-jogador Alberi (ABC), o também ex-jogador e comentarista esportivo Edmo Sinedino, a recordista mundial em atletismo Magnólia Figueiredo, a atual campeã brasileira de remo master, Maria Cristina Souza, o vice-presidente da Confederação Brasileira de Futsal, Clóvis Gomes, o ex-presidente do ABC Judas Tadeu Gurgel, e o torcedor símbolo do América, Baé.

Seleção brasileira tem reservas eficientes, mesmo em ‘emergência’

Ter 11 titulares parece ser algo impossível para o técnico Tite, mas isso não tem sido um problema nesta Copa do Mundo. Desde que iniciou sua preparação para o Mundial, a seleção brasileira tem sofrido com lesões de jogadores, o que obrigou o treinador a repensar a escalação mais de uma vez. Nos três primeiros jogos na Rússia, ele também testou alternativas e fez diversas mudanças ao longo das partidas. Tem dado certo.

Ao todo, 17 dos 23 jogadores entraram em campo na Copa. Dos seis reservas acionados, dois foram para substituir machucados e quatro por opção tática. Em todos os casos, a atuação do time se manteve ou até melhorou.

As duas mudanças provocadas por lesões foram nas laterais. Fagner substituiu Danilo na direita na véspera da partida com a Costa Rica. Anteontem, Filipe Luís foi chamado com menos de dez minutos de partida com a Sérvia, quando Marcelo sentiu a região lombar. As mudanças não atrapalharam. Fagner foi eficiente na defesa na primeira partida e ajudou o ataque na segunda. Filipe Luís entrou num jogo “quente” e não sentiu a pressão, arriscando uma aproximação com os jogadores de frente, ao melhor estilo de Marcelo. Foi aprovado.

O bom desempenho dos reservas passa pelo trabalho proposto pela comissão técnica. Os jogadores recebem os mesmos treinamentos – com a ressalva de que quem atuou na véspera faça apenas trabalho regenerativo no dia seguinte. “A preparação tem de ser em cima de todos, porque a oportunidade pode aparecer quando você menos espera”, comenta Fagner.

Filipe Luís tem opinião parecida. “Todos os que estão no banco de reservas precisam estar preparados para entrar em campo em qualquer momento da Copa”, afirma. “Todo mundo está preparado”, garante.

Tite, por sua vez, gosta de se referir a isso como “ter um elenco mentalmente forte”. O treinador vive usando essa expressão, inclusive quando quer tirar a pressão de cima de algum jogador para dividi-la com todo o restante do grupo. Para o técnico, não adianta lamentar as situações, e sim se adaptar a elas.

“A gente não vive de expectativa, vive de realidade. De elenco que mentalmente suporta pressão, equilibrado, que tem peças de reposição para momentos importantes”, considera. Para o jogo com o México, Tite deve repetir a escalação que iniciou diante da Sérvia. A única dúvida é a presença de Marcelo. Segundo a CBF, o jogador “apresentou boa melhora” e, por isso, deve ficar à disposição. Se não puder atuar, Tite tem a segurança de que será bem atendido pelo reserva.

ESTADÃO CONTEÚDO

Caçado, Neymar sente dores no pé operado, mas diz que ‘está inteiro’

Foto: Wilton Junior/Estadão

Caçado em campo pelos jogadores da Suíça na estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo, neste domingo, Neymar admitiu que sentiu dores na perna e pé direitos durante o jogo, mas garantiu depois que já tinha passado. Ele levou várias vezes a mão ao pé operado, no entanto garantiu que “está inteiro’’ e não terá problema para o confronto de sexta-feira, contra a Costa Rica.

“Senti dores na perna direita, mas é normal da pancada que eu tomei no jogo. Dói, dói, depois que esfria dói um pouco, mas já passou”, disse Neymar.

Ele foi examinado pelo médico chefe da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, que garantiu estar tudo bem. “Não tem nenhum problema, existe uma questão de retorno, recuperar a confiança, mas não existe nenhum problema. A pancada foi no tornozelo, não no pé. Não foi no mesmo local. Não há preocupação com ele. Nada de diferente’’, garantiu Lasmar.

O médico ressaltou que Neymar, clinicamente, precisa ser encarado como qualquer jogador do grupo da seleção brasileira e que do ponto d vista médico ele está totalmente recuperado da fratura.

Neymar preocupava a comissão técnica a cada falta violenta que sofria, por causa da fratura no quinto metatarso do pé direito que sofreu no final de fevereiro e que o tirou dos gramados por pouco mais de três meses.

O atacante, que teve uma atuação apenas discreta contra os suíços, disse ter percebido que Miranda sofreu falta no lance do empate do adversário, mas que não cabe a ele decidir isso e sim aos árbitros, inclusive os que atuam com o VAR. “Achei falta. Passou o replay enquanto eles comemoravam o gol e acabaram não revendo. Mas tem quatro profissionais vendo ali, como disseram em uma reunião com a gente, falaram disso. São quatro profissionais trabalhando para isso. Só temos que jogar futebol, não tem que se preocupar com eles. Se não fizeram o trabalho deles, problema deles”, entende o craque.

Na partida de ontem, Neymar sofreu 10 das 19 faltas cometidas pelos suíços. Ele disse que vai tentar evitar a irritação sempre que for perseguido dessa maneira. “Só tenho que tentar jogar futebol. Quanto ao juiz, vai ser normal. Já vem sendo. A troca de jogadores para fazer a falta. Se a arbitragem não prestar atenção, é uma coisa ruim para o futebol.’’

O jogador do Paris Saint-Germain entende que a seleção brasileira fez uma boa estreia, apesar do resultado não ter sido o desejado, e que individualmente ele se saiu bem diante a forte, e violenta, marcação adversária. Neymar tem certeza de que a produção da equipe vai crescer com o decorrer da partida.

Desde que voltou ao futebol, no amistoso contra a Croácia em Liverpool, Neymar fez ontem sua primeira partida completa. Contra os croatas ele atuou no segundo tempo e no jogo com a Áustria ficou em campo por 83 minutos.

O técnico Tite disse que pela previsão da comissão técnica, Neymar só vai estar totalmente 100% para as oitavas de final da Copa do Mundo. O atacante, porém, garante estar se sentindo cada vez mais à vontade em campo.

ESTADÃO CONTEÚDO

Comissão aprova relatório de Rogério Marinho com nova Lei Geral do Futebol

A Comissão Especial de Reformulação da Legislação do Esporte aprovou nesta quarta-feira (23) o relatório produzido pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB). A proposta altera a Lei Pelé e o Estatuto do Torcedor, além de estabelecer normas gerais sobre relações trabalhistas, regime de tributação e formação de atletas, entre outros pontos.

“No projeto estão mudanças que entendemos como cruciais para a reformulação do futebol profissional: trabalhista, societária, tributária, formação de atletas. Temos a convicção que o relatório contribuirá para o processo de profissionalização definitiva do futebol brasileiro”, disse Rogério Marinho na justificativa do seu voto.

A partir de agora, com o texto aprovado, o relatório se transforma em projeto de lei da comissão especial e segue para tramitação nas comissões temáticas da Câmara. A Comissão de Esportes, por exemplo, será uma das que ainda analisarão a proposta.