Categoria: Educação

Projeto “Turismo pedagógico: o IFRN de portas abertas para você” recebe estudantes de São Paulo do Potengi

Projeto “Turismo pedagógico: o IFRN de portas abertas para você” recebe estudantes de São Paulo do Potengi

Os estudantes do nono ano da Escola Municipal Djalma Marinho de São Paulo do Potengi tiveram uma manhã diferente durante a última quarta-feira (08). Eles participaram de uma série de atividades no Campus São Paulo do Potengi do IFRN. As ações são parte do projeto de extensão “Turismo Pedagógico: o IFRN de portas abertas para você”, que tem como principal objetivo levar membros da comunidade externa, em especial, estudantes do nono ano de escolas da região para conhecer o trabalho desenvolvido na Instituição.

“Nós trabalhamos com uma sequência didática na qual os alunos participam de uma série de atividades, entre elas a oficina de química, na qual eles aprenderam a fazer sabão ecológico, oficina de física, de eletricidade, de matemática, de educação física. Além disso, falamos sobre as carreiras que os estudantes do IFRN podem seguir após concluírem seus cursos técnicos”, destacou o coordenador do projeto, Prof. Neilson Lima.

O projeto é realizado com a contribuição de professores de várias disciplinas e dos coordenadores dos cursos da instituição e está aberto a receber os interessados em conhecer as atividades desenvolvidas no IFRN São Paulo do Potengi. Os interessados em levar grupos para participar do projeto, podem contactar a instituição através do email: neilson.lima@ifrn.edu.br.

Deputado Benes Leocádio visita IFRN e reforça defesa do ensino público

O deputado Federal Benes Leocádio (PRB-RN) participou, na manhã desta sexta-feira (10), de uma audiência com o professor Arnóbio Araújo, diretor do Campus Central do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). O encontro teve como objetivo discutir alternativas para a manutenção de recursos financeiros e investimentos nos institutos potiguares. Além disso, foi apresentado ao parlamentar ações e projetos desenvolvidos pela instituição.

Durante a audiência, o deputado Benes reforçou que vai atuar, em Brasília, junto ao Ministério da Educação e ao Governo Federal para reverter a decisão de bloqueio orçamentário. “O impacto dos cortes orçamentários para as instituições federais prejudica a realização de projetos importantes para a comunidade acadêmica e a sociedade, além de colocar em risco o funcionamento da instituição. O fortalecimento da educação pública, de qualidade, será sempre priorizada por nosso mandato”, destacou Benes.

Fátima Bezerra lidera governadores na entrega ao Ministro da Educação da PEC do novo FUNDEB

Brasilia foi a sede de tudo. Acompanhada dos governadores do Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Amapá, a governadora Fátima Bezerra entregou na noite desta quarta-feira (08), ao ministro da Educação Abraham Weintraub, a proposta de emenda constitucional (PEC) que cria o novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O ministro disse que vai acatar a sugestão feita pelos governadores e se comprometeu em criar um grupo de trabalho para fazer o debate acerca do novo Fundeb, com a participação de entidades como o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

“É preciso dialogar com a sociedade civil, com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e com movimentos educacionais importantes como a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Todos Pela Educação, bem como com o Congresso Nacional, com a Frente Parlamentar em Defesa da Educação, pois será o Congresso que vai aprovar a PEC que trará o novo FUNDEB, permanente, perene e com mais participação financeira da União no financiamento da educação básica”, disse Fátima.

A proposta estabelece que no primeiro ano de vigência, a participação financeira da União aumentará de 10% para 20%, e no prazo de dez anos seguintes aumenta progressivamente 2% ao ano, até chegar a 40%”, explica a governadora, autora da proposta. Com informações da Revista Nordeste.

Reitores e bancada federal unem forças em favor das instituições federais do RN

Reitores e bancada federal unem forças em favor das instituições federais do RN

Diante do corte orçamentário nas instituições federais de Ensino Superior anunciado pelo Governo Federal, os reitores da UFRN, Ufersa e IFRN se reuniram nesta segunda-feira (6), em Natal, para unir forças e buscar soluções. A reunião foi provocada pelo deputado federal Rafael Motta (PSB), que coordena a bancada potiguar e propôs a elaboração de um diagnóstico com o impacto local da medida a ser apresentado ao Ministério da Educação (MEC).

“A bancada federal está pronta para defender as instituições federais do RN. Vamos levar esse documento, que é um diagnóstico detalhado, para o Governo Federal, para que o Executivo, por meio do MEC, tenha a noção exata dos prejuízos que o bloqueio trará ao Estado e possa rever a decisão. Caso não haja uma reconsideração, alternativas jurídicas não estão descartadas, já que os prejuízos são muito significativos”, afirmou o deputado Rafael Motta.

Participaram da reunião os reitores Ângela Paiva (UFRN) e José de Arimateia (Ufersa) e o pró-reitor Juscelino Medeiros (IFRN), além de representantes da OAB e do reitor da UERN, Pedro Fernandes. O mandato da deputada federal Natália Bonavides (PT) também esteve representado. A reunião aconteceu na Reitoria da UFRN.

Ângela Paiva disse acreditar que a ação conjunta pode reverter a questão. “Precisamos mobilizar forças, com o Legislativo e o Judiciário, em defesa das universidades. O apoio da bancada será muito importante para mostrar que esse é um pleito de todo o Rio Grande do Norte”, declarou a reitora. José de Arimateia afirmou que “as universidades precisam desse esforço coletivo para continuarem o trabalhem que desenvolvem”.

De acordo com o documento, confirmado o contingenciamento, as três instituições federais terão prejuízos quanto ao seu funcionamento e, consequentemente, a formação dos estudantes, comprometendo, inclusive, a pesquisa e a inovação.

Na última terça-feira (30), o Ministério da Educação anunciou o bloqueio de 30% no orçamento das instituições federais de ensino de todo o país. No Rio Grande do Norte, a medida afeta a UFRN, a Ufersa e o IFRN em R$ 75 milhões para custeio e investimentos.

IFRN de São Paulo do Potengi sobre nova direção; servidores prestam homenagem a Prof. Ednaldo de Paiva

O Professor Ednaldo de Paiva Pereira, um dos responsáveis pela implantação do Campus São Paulo do Potengi, deixou a Direção-Geral do Campus no último dia 05 de abril, em razão de sua aposentadoria da Instituição. Sua despedida foi marcada por uma cerimônia, realizada no dia 17 de abril, que contou com a participação de servidores e ex-servidores do Campus, do Reitor do IFRN, Prof. Wyllys Abel Farkatt e de familiares.

Durante a cerimônia, Prof. Ednaldo destacou os momentos de dificuldade e de alegria vivenciados na instituição. “Quando nós chegamos aqui, foi muito difícil, mas nós tínhamos o principal, muita vontade de mudar a vida dessa comunidade”, destacou o Professor.

O Reitor do IFRN, Prof. Wyllys Farkatt, reconheceu o trabalho desenvolvido por Prof. Ednaldo ao longo dos seus mais de quarenta anos de atuação profissional. “Ednaldo montou um time neste Campus e deixa um legado muito bonito, de superação, de lutas e de boa convivência com os seus colegas de trabalho”, disse.

Professor Renato Dantas assume a Direção-Geral interinamente

Com a aposentadoria de Prof. Ednaldo, desde o dia oito deste mês, o Professor Renato Dantas responde pela Direção-Geral do Campus. Diretor substituto, ele assumiu a gestão como Diretor-Geral interino e deu início ao processo de consulta pública sobre a Direção-Geral. No próximo dia 29, o Conselho Superior do IFRN, o CONSUP, escolhe os membros da comissão local que conduzirá a consulta com a comunidade acadêmica. A partir disto, o grupo terá 90 dias para realizar o pleito que escolherá o Diretor-Geral Pro tempore, responsável pela finalização do mandato atual que termina em abril do próximo ano.

O processo de consulta pública foi explicado aos alunos e servidores do Campus, pelo Reitor do IFRN, durante reunião realizada, também no dia 17 de abril. “Nossa intenção é pautar nossa gestão na Direção-Geral pela transparência, por isso, assim como era com Prof. Ednaldo, as portas do gabinete continuam abertas para o dialogo”, destacou Prof. Renato durante a reunião.

Entenda como será o processo de sucessão

1. Professor Renato Dantas assume a Direção-Geral Interinamente;

2. Solicita ao CONSUP que institua comissão para o processo de consulta pública;

3. CONSUP determina os membros da comissão local que será responsável pela consulta;

4. Comissão tem 90 dias para realização da consulta;

5. Comunidade acadêmica escolhe, através da consulta, o Diretor Pro Tempore que finalizará o mandato atual.

“Não pretendo entregar o cargo”, diz ministro da Educação

Imagem: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, disse hoje em Campos do Jordão (SP) que não pretende entregar o cargo, em resposta a uma declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Durante um café da manhã com jornalistas na manhã de hoje, o presidente disse que decidirá sobre o comando do MEC na próxima segunda-feira. “Está bastante claro que não está dando certo. Ele é bacana e honesto, mas está faltando gestão, que é coisa importantíssima”, diz o presidente.

Vélez negou ter sido procurado por Bolsonaro para tratar de sua eventual demissão. Questionado se considerava sua situação no MEC como insustentável, o ministro respondeu que “a única coisa insustentável é a morte.”

Bolsonaro já havia feito críticas públicas à gestão de Vélez, que tem sido marcada por uma série de recuos, polêmicas e demissões. Desde o começo de março, houve cerca de 20 mudanças de cargos no MEC, onde grupos ligados a militares, técnicos e ao escritor Olavo de Carvalho — que indicou Vélez ao cargo — disputam espaço.

Na semana passada, o presidente disse em entrevista à Band que as coisas “não estão dando certo” no MEC, e que conversaria com Vélez após voltar da viagem oficial a Israel — o presidente chegou na quarta ao Brasil.

Além da instabilidade provocada pelas disputas internas, Vélez protagonizou polêmicas junto à opinião pública. Recentemente, defendeu uma revisão dos livros didáticos sobre o golpe militar de 1964 e da ditadura que veio em seguida.

No fim de fevereiro, o MEC enviou a escolas um pedido para que alunos fossem gravados cantando o hino nacional, e que os vídeos fossem enviados ao governo. O pedido também incluía a leitura de uma mensagem com o slogan eleitoral de Bolsonaro, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. O ministro depois recuou da medida.

O ministro falou rapidamente à imprensa durante sua participação no 18º Fórum Empresarial Lide (Grupo de Líderes Empresariais) e não quis conceder uma entrevista coletiva.

Uol

MEC desiste de pedir vídeos de alunos alegando ‘razões técnicas’

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez: advogado quer que ele dê esclarecimentos Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) decidiu enviar mais um comunicado a escolas do país para retirar o pedido de envio de vídeos dos alunos cantando o Hino Nacional perfilados em frente à bandeira do Brasil após leitura de carta oficial do ministro Ricardo Vélez Rodríguez. Será a terceira circular da pasta nesta semana. A primeira incluía no corpo da mensagem de Vélez o slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” e solicitava o envio das gravações ao governo. Após repercussão negativa, nova redação foi feita, retirando o lema e incluindo a necessidade de autorização prévia para imagens das crianças e adolescentes.

Agora, segundo os esclarecimentos enviados pelo MEC ao Ministério Público Federal (MPF), que exigiu explicações do ministro em 24 horas, um novo ofício será remetido às escolas, retirando o pedido de envio das imagens por “razões técnicas de dificuldade de guarda desse material (imagens e sons)” e “de segurança”. A medida é descrita pelo consultor jurídico da pasta, Cassio Cavalcante Andrade, no documento, assinado por Vélez. Ele narra que recebeu a informação nesta quarta-feira diretamente do gabinete do ministro.

“Cumpre-me anotar, a propósito, que recebi notícia, há pouco, do Gabinete do Exmo. Sr. Ministro de Estado da Educação, no sentido de que, por razões técnicas de dificuldade de guarda desse material (imagens e sons), bem como de segurança, determinará a expedição de nova comunicação, com a retirada do pedido de produção e envio de vídeos”, afirma a manifestação do MEC enviado ao MPF.

Uso de slogan não foi para ‘promoção pessoal’

No documento, o ministério nega que tenha infringido os diversos dispositivos constitucionais e infralegais apontados pelo procuradores que pediram explicações. Diz que Vélez Rodríguez, ao usar o slogan de campanha eleitoral em carta institucional enviada a escolas, agiu “sem vontade de promoção pessoal”, para sustentar que não houve violação do artigo 37 da Constituição, que fala dos princípios da administração pública.

Diz um dos dispositivos do artigo que “a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.

No comunicado, ao citar o artigo da Constituição, o MEC justifica o ato de Vélez. “Constata-se que os comunicados eram de natureza educativa, o que atende o dispositivo constitucional. Mas, reconhecido pela autoridade ministerial que, inoportunamente, foi utilizado o slogan de campanha presidencial como saudação final, todavia, sem a vontade de promoção pessoal. Convém assinalar que a expressão já restou retirada das mensagens, por determinação do Ministro de Educação”, aponta a pasta.

A pasta afirmou que houve “boa fé” do ministro ao revisar o conteúdo da carta e reenviá-la às escolas retirando o slogan e colocando a necessidade de autorização de uso das imagens. Argumenta ainda que houve economia de recursos com a medida, uma vez que Vélez Rodriguez não fez “mensagem institucional, a ser veiculada pela grande mídia, para transmitir essa mesma mensagem à comunidade escolar. Preferiu, no entanto, a forma menos custosa aos cofres públicos, e, a seu ver, a mais efetiva”.

Hino não pode ser censurado, diz MEC

O MEC defendeu a execução do Hino Nacional em frente à bandeira, alegando que incentivar o ato não infringe direitos, e protestou contra as críticas falando em censura. “A sugestão de leitura diante do Pavilhão e no momento reservado ao Hino Nacional não pode, também, ser objeto de censura. Não é crível que qualquer autoridade possa ser censurada por sugerir que o canto do Hino seja praticado, ainda mais num ambiente público ou particular publicizado, como são as escolas”, destacou, dizendo que o símbolo vem da própria Constituição.

E continua: “Se, nos estádios e arenas esportivas, quando as seleções nacionais atuam — e mesmo quando se trata de certames nacionais —, os torcedores se submetem à execução do Hino Nacional, pergunta-se: que mal há em cantar o Hino nas escolas? A prática, aliás, já é comum em muitos estabelecimentos de ensino. Num passado não muito distante, era ainda mais comum. Reiteramos: não foi uma determinação, mas uma sugestão. Homenagear os símbolos nacionais é algo que sobreleva e transcende qualquer opção política, ideológica ou filosófica”.

O Globo

Semana Pedagógica marcou início do ano letivo no Campus São Paulo do Potengi

Semana Pedagógica marcou início do ano letivo no Campus São Paulo do Potengi

Nos dias 04, 05 e 06 de fevereiro, o Campus São Paulo do Potengi do IFRN reuniu professores, técnicos administrativos, estagiários e profissionais terceirizados para capacitação e planejamento do novo período que se inicia. A semana pedagógica, realizada pela Diretoria Acadêmica (DIAC), contou com minicurso, palestra, reuniões e apresentação cultural, visando a integração da comunidade acadêmica.

O setor de Psicologia proporcionou um momento teórico-vivencial intitulado “Percebendo a adolescência”, no qual os psicólogos escolares Cássio Martins (IFRN Currais Novos), Emanuelle Cortez (IFRN Natal Central) e Rafael Chaves (IFRN Ipanguaçu) buscaram sensibilizar os servidores acerca do universo dos nossos estudantes. Ocorreu também a palestra “O IFRN e a Reforma do Ensino Médio: resistência e defesa do Ensino Médio”, com o professor Dante Henrique Moura, o qual ressaltou a importância de considerar que a educação pública deve contemplar as diversidades da população brasileira, garantindo que se efetive uma educação laica, igualitária, de qualidade socialmente referenciada, para crianças, adolescentes, jovens e adultos. O minicurso “Práticas pedagógicas para inclusão de estudantes com deficiência visual”, promovido pelo Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (NAPNE), foi ministrado pela professora Juliana Magro, visando contribuir para a discussão e planejamento de ações voltadas para educação inclusiva. Além dos momentos de formação e vivência, os núcleos de trabalho do campus falaram sobre as principais atividades desenvolvidas no ano passado e sobre os projetos e expectativas para 2019.

O Campus São Paulo do Potengi do IFRN reafirma seu compromisso em desenvolver atividades de ensino, pesquisa e extensão que contribuam para o desenvolvimento social e econômico da região, integrando as ações do campus a sociedade e a comunidade local.

Bolsonaro escolhe primeiro da lista para reitor da UFRN: José Daniel Diniz Melo

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro nomeou José Daniel Diniz Melo para reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte ( UFRN ), mantendo a tradição de respeitar a escolha da comunidade acadêmica. Diniz era o primeiro da lista tríplice enviada pela instituição.

Embora a regra tenha sido mantida na primeira nomeação do governo Bolsonaro para as universidades, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, estuda mudança nos critérios de escolha. Ele também assina, junto com Bolsonaro, a nomeação de Diniz Melo, publicada em sessão extra do Diário Oficial da União de 8 de fevereiro.

Hoje, cada universidade federal faz a sua eleição e envia três nomes para o governo. O Ministério da Educação analisa e encaminha ao presidente. Desde a gestão Lula, o primeiro da lista sempre foi o escolhido, embora qualquer um dos três indicados possa ser nomeado.

Vélez já disse que quer mudar as regras, mas não explicou o que fará. A nomeação de Diniz Melo surpreendeu positivamente os dirigentes de instituições federais de ensino por ter respeitado a tradição de escolher o primeiro nome, mas causou surpresa por ocorrer na frente de outras que já enviaram a lista tríplice e têm mais pressa, porque estão com reitores temporários designados pelo governo, como a Federal do Triângulo Mineiro.

Para a Universidade Federal do Triângulo Mineiro, o primeiro nome da lista é Fabio Fonseca, que já foi filiado ao PT e ao PSOL. A nomeação do segundo, Luiz Fernando dos Santos Anjo, chegou a ser encaminhada internamente no governo, mas não foi publicada ainda. O caso é acompanhado pela comunidade acadêmica porque representará uma sinalização de como a atual gestão vai lidar com as universidades, vistas dentro do MEC como um setor dominado pela “esquerda”.

Nomeado para assumir a partir de 28 de maio, Diniz Melo é vice-reitor da UFRN e foi candidato único na eleição da instituição. Mesmo assim, a universidade tem que mandar a lista tríplice. Bacharel em Engenharia Mecânica e em Engenharia Civil, mestre e doutor em Engenharia Mecânica, fez pós-doutorado na Stanford University, onde é Professor Visitante do Department of Aeronautics and Astronautics desde 2008, segundo o currículo publicado pela UFRN.

O Globo

“Nossa perspectiva é formar alunos”, disse Manoel, novo diretor da 4° DIREC de São Paulo do Potengi

Em entrevista ao Programa Sala de Debate da Web Rádio São Paulo desta terça-feira, 05, o Professor e novo Diretor da 4° Diretoria Regional de Educação e Cultura-DIREC, Manoel Amador, falou sobre suas metas para a nova gestão que se inicia sobre seu comando. Na ocasião, Manoel falou sobre o inicio da Jornada Pedagógica que tem como tema “Currículo Escolar, Fiel Saberes, Inovar Experiência e Construir Identidades” e que acontece até esta quarta-feira, 06, em São Paulo do Potengi.

O evento contou com a participação da Chefe de Gabinete da Secretaria de Educação do RN, Socorro Batista, representante do Sindicado dos Professores do RN, Miguel Salustiano, diretores, professores e demais autoridades. Perguntado sobre suas metas a frente da DIREC, Manoel nos relatou que tem 4 objetivos para ser colocado em prática.

“Temos 4 objetivos principais, tudo que nós fizemos, todas as ações, todos os projetos, eles estão voltados para os 4 objetivos. Um dos objetivos é alfabetizar todas as crianças até 8 anos. O segundo objetivo é colaborar com a redução do analfabetismos em nossa região. O terceiro é fazer com que os alunos participem do ENEM e por último é elevar os índices do IDEB”, falou Manoel.

Com visão do coletivo, Manoel mostrasse confiante em sua gestão. “Pretendemos fazer uma gestão primeiramente participativa, nós compreendemos que não é possível fazer uma administração de forma isolada e com pensamento único. Nós precisamos ouvir os diversos segmentos da sociedade, nós precisamos está aberto para diversas visões e dentro da equipe que forma a Educação regional, conclamo a todos para traçamos juntos essas metas”, disse Manoel.