Dia: 21 de setembro de 2021

Prefeito Luís Eduardo de Maxaranguape entrega escola professor Calixto totalmente reconstruída

O Prefeito de Maxaranguape, Luís Eduardo, entregou na manhã desta terça-feira (21), a Escola Municipal Professor Calixto em Maracajaú completamente recuperada.

A reforma e ampliação da Escola Professor Calixto conta com salas de aulas ampliadas, equipadas e climatizadas. Banheiros e demais espaços físicos com acessibilidade, além da cozinha que foi estruturalmente ampliada, atendendo mais e melhor os estudantes que serão acolhidos no estabelecimento educacional.

“Temos uma grande preocupação em receber bem nossos alunos, especialmente em ofertar um serviço de educação mais completo, com qualidade e acima de tudo com muito respeito à população que merece um espaço educacional digno. Me sinto muito feliz em fazer parte desta história de desenvolvimento para Maxaranguape.” Afirmou o Prefeito Luís Eduardo.

Renan Calheiros critica discurso de Bolsonaro na ONU, diz que ‘não foram mais do que 30 mil pessoas’ nas manifestações de 7 de setembro, e chama presidente de ‘golpista do cercadinho’

 

Foto: ADRIANO MACHADO / AM

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), disse que o presidente Jair Bolsonaro mentiu em seu discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Na sessão da CPI, Renan chamou Bolsonaro “golpista do cercadinho” e de “figura rudimentar, anacrônica e transitória”, e afirmou que o discurso mostrou a “República do cercadinho”. É uma referência ao grupo de apoiadores de Bolsonaro que costumam se juntar num cercadinho na entrada do Palácio da Alvorada, com quem presidente costuma conversar. Nesses encontros, Bolsonaro não se expõe a críticas e encontra uma plateia simpática a suas ideias.

O relator da CPI fez referência a outros episódios ocorridos em Nova York, onde fica a sede da ONU, como a impossibilidade de Bolsonaro frequentar restaurantes por não estar vacinado, e protestos contra o presidente.

Verificamos na prática que vergonha definitiva desconhece limites. Os vexames na ONU do presidente da República vão desde vaias, puxadinhos, proibição de acesso por falta de vacinação, advertências públicas do prefeito de Nova York, e a negação universal das vacinas diante do primeiro ministro do Reino Unido. O discurso lamentavelmente pífio na Assembleia mostra ao mundo a República do cercadinho, uma vergonha para todos os brasileiros, a exumação da insignificância — disse Renan.

O relator da CPI continuou:

— Único líder do G20 não vacinado, Bolsonaro repetiu seu papel de figura rudimentar, anacrônica e transitória, e propagador de mentiras. Seu discurso foi uma mentira só do começo ao fim. O Brasil perdeu a credibilidade internacional.

Depois, Renan citou alguns pontos específicos do discurso. Bolsonaro negou por exemplo casos de corrupção no governo.

— E a corrupção negada por ele na ONU foi comprovada em diversas oportunidades na CPI, como propinas [na negociação de vacinas] — disse Renan, acrescentando: — Diante de mais de 20 irregularidades reveladas pela CPI, o governo foi ao final coagido a rescindir o contrato.

Bolsonaro voltou defendeu o tratamento precoce, mesmo que os remédios usados não tenham eficácia comprada.

— Na contramão do mundo, da ciência, pregou para todo o mundo tratamento precoce, responsável por muitas mortes o Brasil — afirmou o relator da CPI.

Boslonaro disse ainda que milhões de brasileiros foram às manifestações de Sete de Setembro, de apoio ao governo.

— Bolsonaro também mentiu sobre a participação de milhões na manifestação de Sete de Setembro. Não foram mais do que 30 mil pessoas, e hoje sabemos a que custo. O golpista do cercadinho repetiu seu negacionismo e sua limitação cognitiva para todo mundo. A frieza nas reações após dez minutos de fake news sobre o Brasil foi eloquente sobre a sua irrelevância — concluiu Renan.

Extra – O Globo

Câmara de Parnamirim elege por unanimidade Mesa Diretora para o próximo biênio

Os vereadores da Câmara de Parnamirim elegeram por unanimidade a chapa única para renovação da Mesa Diretora para o segundo biênio (2023/2024) da 16ª Legislatura. A eleição foi realizada nesta terça-feira (21), durante a 87ª sessão ordinária, no Plenário Dr. Mário Medeiros.

Na ocasião, foi apresentada a chapa única, composta da seguinte forma: para presidente da Casa Legislativa, vereador Wolney França, 1º vice-presidente, vereador Michael Borges, 2º vice-presidente, vereador Thiago Fernandes, 1º secretário, vereador Gustavo Negócio, e 2ª secretária, vereadora Carol Pires.

A votação foi nominal e contou com a presença de todos os vereadores e vereadoras, que votaram por unanimidade na chapa apresentada.

Ao final, o presidente reeleito agradeceu aos parlamentares. “Me sinto honrado pelo reconhecimento de todos e reforço meu compromisso com os vereadores, com os servidores e principalmente com a população de Parnamirim”, afirmou Wolney França.

O processo eleitoral segue o que está determinado na Lei Orgânica do Município, no Regimento Interno da instituição e requerimento legislativo aprovado em plenário.

Governadora Fátima Bezerra em São Paulo do Potengi

A governadora Fátima Bezerra juntamente com o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, e demais autoridades, cumprirão agenda nesta quinta-feira, 23, em São Paulo do Potengi. A governadora vem lançar o programa RN EMPREENDEDOR. O evento acontecerá na CEMTRAF.

Não só autoridades da cidade, mais também, da região Potengi estarão presentes.

VÍDEO: Ministro da Saúde Marcelo Queiroga estira o dedo para grupo de manifestantes em Nova Iorque

Durante um protesto de um grupo de brasileiros contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em Nova York, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, respondeu com um gesto obsceno.

Em imagens que circulam em redes sociais, Queiroga aparece na janela de um micro-ônibus. O protesto ocorreu em frente à residência da Missão Brasileira junto à ONU.

O micro-ônibus transportava, além de Marcelo Queiroga, a maior parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que chegou aos Estados Unidos na segunda-feira (20) para participar da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).