No Dia Mundial do Doador de Sangue, campanha da Assembleia incentiva a doação no RN

Doar sangue é um ato voluntário de solidariedade que deve ser incentivado. No Dia Mundial do Doador de Sangue, 14 de junho, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte se une as associações e doadores para incentivar as doações. Uma delas, que merece destaque é a doação de número 317 feita pelo maior doador de sangue do mundo, o servidor público municipal de Natal, Paulo Neris. A doação começou em 1984 quando Paulo ainda era jovem.

“É uma questão que me dá muito orgulho, saber que estou deixando um legado positivo para a sociedade”, avalia Paulo Neris que, além de recordista de doações de sangue do mundo é presidente da Associação dos Doadores de Sangue e Medula Óssea do Rio Grande do Norte (Adosan). “Tenho certeza que a campanha da ALRN vai ajudar a levar a causa para os 167 municípios do RN”, completa.

No último sábado (12), a Assembleia Legislativa do RN participou do “Dia D” de doação no Centro de Doação de Sangue – Hemovida, em Natal. A ação alcançou mais de 50 doadores com a campanha “Doe sangue hoje – você não deixaria alguém que você ama esperar”, feita em parceria com a agência Execom.

O Dia Mundial do Doador de Sangue é celebrado anualmente neste dia 14 de junho e tem como objetivo homenagear a todos os doadores de sangue e conscientizar os que ainda não são doadores sobre a importância do ato, que é responsável por salvar de milhares de vida. Dados apontam que uma bolsa pode salvar até 4 vidas.

De acordo com a porta-voz do Hemovida, a assistente social Ângela Celly, a ação da Assembleia Legislativa desperta na sociedade a consciência da doação de sangue, no momento mais crítico da saúde do RN. “Hoje, por exemplo, o nosso estoque está com apenas 50% de sua capacidade e um incentivo como esse ajuda a manter nossa missão que é salvar vidas”, ressaltou.

Atualmente, o banco de sangue está precisando de sangue tipos A- e O-. Segundo levantamento do Hemovida, o tipo sanguíneo mais comum nas doações são os O+ e A+.

De acordo com as normas do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (ONS) , a mulher pode doar a cada três meses e o homem a cada dois meses.

Deixe uma resposta