Sem novo decreto, ‘pessoas iam morrer nas calçadas’, diz Álvaro Dias

Alex Régis/Prefeitura do Natal

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, concedeu entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (18) para falar sobre o novo decreto editado em conjunto entre o Governo do RN e a Prefeitura do Natal com novas medidas de restrições para conter o avanço da Covid-19 no RN. Álvaro destacou que durante a pandemia sempre foi favorável à manutenção dos empregos e da abertura do comércio, mas que ‘tudo tem um limite’ e se medidas mais rígidas não fossem tomadas o Estado perderia o controle sobre a doença.

“Ninguém mais do que eu quis, durante toda a pandemia, preservar o comércio funcionando, preservar os empregos, as atividades econômicas, mas chega um momento que tudo tem limite; o limite chegou”, declarou o prefeito da capital potiguar.

Governo e prefeitura chegaram a um denominador comum após uma série de conversas e reuniões com o comitê científico e com representantes do setor produtivo. Apesar da gravidade da situação, o setor produtivo não aprovou as medidas e teme uma crise sem precedentes na economia potiguar.

O prefeito afirmou ainda que as decisões tomadas nesse novo decreto têm como objtivo salvar vidas diante da gravidade do problema.

“Se a gente não fizesse o que fez, essa doença ia ficar incontrolável, as pessoas iam morrer nas calçadas sem ter onde internar e nós tínhamos que fazer o que fizemos. Fizemos e faríamos de novo, se for necessário, porque o momento é grave”, acrescentou.

Álvaro Dias disse ainda que o setor da saúde está numa situação de “pré-colapso” e que as medidas mais rígidas são necessárias para que a situação não fique “incontrolável”.

Grande Ponto

Deixe uma resposta

Open chat