RN registrou 1,3 mil acidentes em 2020 nas rodovias federais que cortam o estado

Foto: Bruno Vital/G1

Em 2020, o Rio Grande do Norte registrou 1.333 acidentes nas rodovias federais que cortam o estado, sendo 1.073 com vítimas (mortos ou feridos). O dado é da Confederação Nacional do Transporte (CNT) e consta no balanço anual divulgado nesta segunda-feira (1º) pela entidade. A BR-101, que liga o estado potiguar ao Rio Grande do Sul, foi a rodovia que teve o maior número de acidentes no ano passado, com o total de 8.715 acidentes de trânsito, sendo 514 no RN.

Apesar do número de acidentes ainda ser considerado alto, observou-se uma redução no quantitativo, acompanhando a tendência de queda registrada no Brasil desde 2014. Em comparativo com 2019, o ano passado mostrou uma diminuição de 7,2% no total de acidentes, já que em 2019 foram registrados 1.437 acidentes nas rodovias federais que cortam o RN.

O percentual de redução do RN é maior que o nacional. Isso porque, segundo o Painel CNT de Consultas Dinâmicas de Acidentes Rodoviários, no ano passado, foram registrados 63.447 acidentes em estradas federais de todo o país, número 5,9% inferior às 67.427 ocorrências contabilizadas em 2019 e que mantém a tendência de queda iniciada em 2014 (169.194).

De acordo com a CNT, o grau de letalidade desses acidentes no âmbito nacional foi maior, uma vez que o total de mortes ficou praticamente inalterado, baixando de 5.332 óbitos em 2019 para 5.287 em 2020. A redução foi de apenas 0,8%, com média de 14 pessoas mortas por dia nas rodovias federais. Só entre 2007 e 2020, 99.365 brasileiros perderam a vida em acidentes nas estradas federais. No Rio Grande do Norte, nesse mesmo período (de 2007 a 2020), foram 38.588 acidentes e 2.173 potiguares que perderam a vida. Somente em 2020, o RN contabilizou 100 vidas perdidas por acidentes de trânsito.

O tipo mais frequente de acidentes com vítimas foi a colisão, com 723 ocorrências (67,4% do total) em 2020. Além disso, moto foi o tipo de veículo mais envolvido em acidentes com vítimas em 2020 (40,8% do total) no território potiguar, seguido dos automóveis (39,1%) e dos caminhões (8,7%).

A CNT estima que, somadas, as ocorrências envolvem prejuízo de R$ 207,83 milhões ao Rio Grande do Norte, sendo R$ 121,6 milhões relativos às ocorrências com vítimas que sobreviveram; R$ 77,9 milhões aos sinistros com mortes e pouco mais de R$ 8,2 milhões com aqueles sem vítimas.

Portal da Tropical

Deixe uma resposta

Open chat