Dia: 20 de maio de 2020

Paróquia de Santa Maria recebe novo pároco dia 24

Padre Inácio Lopes assume a função de pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, formada pelos municípios de Santa Maria e Ielmo Marinho, neste domingo, 24. A celebração, durante a qual acontecerá o ritual de posse, acontecerá às 19 horas, presidida pelo Vigário Episcopal Urbano, Padre Ramos.

Os fiéis poderão acompanhar a missa através da página da paróquia no Facebook. Padre Inácio Lopes é recém-chegado de Valência, na Espanha, e, em Santa Maria, ele sucede ao Padre Francisco Franklin de Araújo.

FEMURN e CNM alertam que apoio financeiro “recompõe” apenas parte das perdas financeiras dos Municípios

A Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte – FEMURN e a Confederação Nacional de Municípios (CNM) lançaram nota conjunta nesta quarta-feira, dia 20 de maio, reconhecendo o esforço do Congresso Nacional, liderado pelos presidentes da Câmara e do Senado, que possibilitaram a apreciação e a votação célere do PLP 39/2020 que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, mas esclarecendo que a proposta aprovada “recompõe” apenas parte das perdas que os Municípios estão sofrendo com a queda na arrecadação de tributos em decorrência da pandemia da Covid-19.

Na nota, as instituições destacam que o apoio financeiro que chegará aos cofres municipais será fundamental para que os gestores possam manter, minimamente, suas estruturas administrativas e a prestação de serviços a sua população, pois o valor de R$ 350.287.263,17, dividido em quatro vezes, será importante, mas muito menor que a perda efetiva da arrecadação que as gestões municipais vão sofrer neste momento da pandemia.

Para se ter uma noção da perda de arrecadação, segundo cálculos da equipe econômica da CNM e da FEMURN, as estimativas são as seguintes para este ano:

Na quota-parte do ICMS será de R$ 188.444.191,93;
No ISS será de R$ 155.848.979,29;
No IPTU/ITBI será de R$ 64.819.804,81;
No FUNDEB será de R$ 236.238.304,62;
E no FPM será de R$ 150.249.639,85;

Somando isso, as Prefeituras municipais do RN poderão perder R$ 795.600.920,49.

“Como pode ser visto receberemos R$ 350.287.263,17 e temos a estimativa de ter uma queda de R$ 795.600.920,49. Assim sendo, o valor que receberemos é muito menor do que havíamos estimado arrecadar para este ano”, indica a nota.

Agora RN

Mec e Inep anunciam adiamento do Enem; período de inscrições segue inalterado

Foto: Caio Rocha/Framephoto/Estadão Conteúdo

O MEC (Ministério da Educação) e o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) anunciaram hoje que o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano será adiado por 30 a 60 dias. A prova, que estava prevista para novembro, deve acontecer agora em dezembro ou janeiro de 2021. Em média, 5 milhões de candidatos participam do Enem. Até o momento, segundo o MEC, mais de 4 milhões fizeram a inscrição para o exame deste ano.

“Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais”, diz um comunicado oficial.

A nota diz ainda que o período de inscrições para o exame segue inalterado. O prazo para cadastro termina às 23h59 desta sexta (22). O texto também informa que o Inep realizará uma consulta aos inscritos no exame, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante.

A decisão por realizar as provas do Enem em uma nova data acontece em meio à pressão da sociedade civil e do Congresso pelo adiamento do exame.

Entidades estudantis, secretários de educação e reitores de instituições de ensino defendem o adiamento do exame sob a justificativa de que nem todos os estudantes têm condições sociais e financeiras de manter os estudos durante a pandemia ou nem sequer têm acesso às ferramentas necessárias para o ensino a distância, como celular e computador com acesso à internet.

Com UOL

Bolsonaro diz que Pazuello vai ‘ficar por muito tempo’ no Ministério da Saúde

Foto: Adriano Machado/Reuters

Questionado na manhã desta quarta-feira se já escolheu o novo ministro da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o general Eduardo Pazuello, que assumiu interinamento o comando da pasta após a saída de Nelson Teich, na semana passada, “vai ficar por muito tempo” no cargo. Ainda segundo Bolsonaro, Pazuello, que não tem experiência prévia com a área de saúde, é “um bom gestor” e terá médicos em sua equipe.

— Ele vai ficar por muito tempo esse que tá lá. Não vou mudar não. Ele é um bom gestor e vai ter uma equipe boa de médicos embaixo dele — declarou o presidente, em conversa com garis no caminho entre os palácios da Alvorada e do Planalto, por volta das 9h.

Bolsonaro falou ainda sobre os impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus na população mais pobre, que já está com geladeiras vazias, e reiterou que “mais da metade” vai pegar a doença.

— Não adianta. É igual a uma chuva chover aqui agora. Vamos enfrentar, tomar conta do pai de vocês, da minha mãe, que está viva, quem pegou a doença, e toca o barco, toca a vida. Esse empobrecimento que estão fazendo quase no Brasil todo vai levar o pobre a ficar mais pobre, classe média ficar pobre, e é ruim para todo mundo, porque sem dinheiro não tem vida, não tem saúde — declarou.

O Globo

URGENTE: Primeiro caso confirmado da Covid-19 em Lagoa de Velhos

Nenhuma descrição de foto disponível.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do município de Lagoa de Velhos e do Boletim Epidemiológico, a cidade registra o seu primeiro caso acometido de Coronavírus.

Trata-se de paciente do sexo masculino, 26 anos, submetido a teste rápido na Unidade Mista de Saúde Genoveva Ferreira, estando neste momento em isolamento domiciliar e apresentando sintomas leves.

O município também conta com duas pessoas em monitoramento.

A equipe de saúde segue acompanhando os casos, e seguindo as orientações dos órgãos de saúde.

CONFIRA: Cantor Potengiense lança seu CD autoral

A imagem pode conter: Igor Rodrigo, texto

O cantor Potengiense, Igor Rodrigo, lançou no começo da tarde desta quarta-feira, 20, o seu novo CD com músicas autorais. O CD tem a participação também da cantora Potengiense Joélika Diniz.

Igor tem feito sucesso por onde passa! Nas edições anteriores do The Voice São Paulo Igor tem apresentando o concurso juntamente com este Blogueiro.

Segundo informações Igor realizar no mês de Junho a sua Live Junina. Confira o CD completo no Sua Música: https://www.suamusica.com.br/igorrodriigo

Jovens do Bairro de Cidade Nova na Zona Oeste de Natal cria projeto “Cidade Nova INOVA”

Jovens do Bairro de Cidade Nova na Zona Oeste de Natal, estão realizando um projeto para revitalização do “Areião” que atualmente é considerada a única praça esportiva do bairro. Intitulado como “Cidade Nova INOVA” o ideal do projeto e trazer benefícios para o esporte e valorização da área.

A ideia inicial do projeto e de se instalar iluminação, pista para caminhada e academia para a terceira idade no local. Na tarde de ontem, (18), idealizadores do projeto estiveram acompanhados de arquiteto e do pré candidato a vereador de Natal, Sirleno Júnior para acompanhar o início do planejamento para o local.

DO BLOG: Parabéns a Sirleno Júnior pela belíssima iniciativa em reunir um grupo de amigos e idealizar este projeto. Siga em frente amigo, será grandioso para os moradores do Bairro. Avante!

Artigo Ney Lopes: “Todos na mesma mesa”

Ney Lopes- Ney Lopes- advogado, jornalista e ex-deputado federal- @blogdoneylopes

11 de março de 2020 é a data que mudou os rumos do mundo, com a decretação da pandemia pela OMS.

No Brasil contemporâneo, o vírus fragilizou a saúde coletiva e as sucessivas crises políticas debilitam as instituições democráticas.

A economia é conduzida, de forma ortodoxa, pelo “czar” Paulo Guedes, que com poderes totais se nega abrir “diálogo social amplo”, concentrando-se na proteção ao “andar de cima”, sem “divisão de sacrifícios”.

Não se levam em conta alternativas de receitas fiscais, existentes em países de livre mercado. Os incentivos e as renuncias, sem prestação de contas, continuam intocáveis e consomem mais de 5.1% do PIB.

O foco é “subtrair” da classe média e assalariados, que “pagam o pato” sozinhos. Esse “vulcão” poderá entrar em erupção no futuro, semelhante ao que ocorreu no Chile e outros países.

Ultimamente, surgiram “luzes no final do túnel”. O presidente usou a expressão “vamos conversar”. Disse, ainda, em tom moderado, que deseja “resgatar os valores que formam nossa nacionalidade”.

Para amanhã está prevista reunião virtual do Chefe do Governo com governadores e prefeitos. Que seja o primeiro passo!

O gesto ressurge a possibilidade da construção de um diálogo nacional, no qual seja possível “unir convergências e superar divergências”, sem que haja “dono da verdade”.

Há exemplos de paz política no Chile (“Concertación”), Espanha (Pacto de Mocloa), Portugal (Revolução dos Cravos e Polônia (Lech Wałęsa). Atualmente, em Israel, com diferenças tidas como intransponíveis, forma-se governo de coalizão, liderado por Netanyahu e Benny Gantz, encerrando a maior crise do país.

Para tornar viável a proposta do diálogo, o presidente teria que propor a divisão de responsabilidades, partindo do pressuposto de recuos nas posições recíprocas já adotadas, sem que seja considerado demérito, ou fraqueza.

O presidente apresentaria as linhas gerais de um consistente “Plano”, que permitisse manter o isolamento em locais cientificamente recomendados e flexibilizar em outros. O ministério da saúde faria “agenda”, incorporando propostas dos governadores e prefeitos, sem acusações, ou lamurias.

Esse caminho ativaria o diálogo, através de “Comitê da União, Estados e Municípios”, composto por representantes dos entes federativos, com atuação harmônica, sem protagonismos.

Não pode continuar é o “campo de guerra” atual. O vírus é um exército invisível, que ataca sem avisar. Para enfrentá-lo, a única estratégia sensata será “unir” as forças dos governos federal, estadual e municipal. Assim recomenda a Constituição, confirmado pelo STF. Esse comportamento não significará adesismos. Ao contrário, colocará as forças políticas em nível de respeito e aplauso da opinião pública.

Sabe-se não ser racional a defesa da vida, paralisando a economia. Mas, liberar a economia, sem critérios rígidos e científicos, será agredir a vida. O mundo mostra que o dilema não é “comer ou morrer”, no sentido de que os mais pobres morrerão de fome se cumprirem o isolamento.

A verdadeira questão é ter “bom senso! ”.

A história confirma a possibilidade de consenso. Entre os anos de 430 e 428 AC houve grande praga em Atenas. A causa foi a aglomeração nas ruas, logo combatida. Na “gripe espanhola”, a cidade da Filadélfia (1918) ignorou o distanciamento social, realizou parada com 200 mil pessoas e morreram milhares de pessoas.

Na mesma época, a cidade de Saint Louis cancelou seu desfile e fechou atividades, evitando o crescimento da praga.

Todos desejamos o “isolamento” flexibilizado. Os mais pobres precisam trabalhar para levar o “pão” para a família, desde que as UTIs “também” lhes atendam na rede pública.

Até o mercado financeiro considera ser precipitado sair abruptamente do isolamento. A justificativa é que o número de casos aumentará, a economia para novamente, a população terá medo de sair de casa e não voltará a consumir.

A flexibilização gradual na Europa e Ásia tem sido diferente. Os países abrem, após “achatar” a curva e aplicarem testes em massa, uso de máscaras e equipamentos de proteção.

Nesta conjuntura, a palavra de ordem é “todos na mesma mesa” (presidente, governadores e prefeitos), o que se assemelharia a fumaça branca, expelida da chaminé da Capela Sistina, quando os cardeais anunciam novo papa.

O “diálogo nacional” aliviaria a nação e se poderia exclamar que “habemus paz”, para enfrentar e vencer a pandemia.

Amém!

VÍDEO: Ao lado de Bolsonaro, Regina Duarte anuncia que deixa comando da secretaria de Cultura, e comunica que assumirá a Cinemateca, vinculada à pasta

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) a saída da atriz Regina Duarte do cargo de secretária especial de Cultura. Em publicação em uma rede social, o presidente afirmou que ela assumirá a Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

A Cinemateca Brasileira é a instituição responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira e é vinculada à Secretaria da Cultura.

“Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, afirmou Bolsonaro.

Regina Duarte assumiu a pasta em 4 de março, com a missão de “pacificar” o embate entre a classe artística e a indústria da cultura com o governo federal.

Com G1

CULTURA: Bolsonaro convida ator Mario Frias, defensor ferrenho do governo, para assumir cargo de Regina Duarte

Foto: Reprodução/Instagram

A secretária especial da Cultura, Regina Duarte, foi chamada para um café da manhã com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada, na manhã desta quarta-feira (20).

A atriz pediu ao presidente para deixar o cargo e voltar a São Paulo, onde pretende ficar mais próxima da família e poderá ocupar uma função do governo federal na cidade. Para o lugar dela, o ator Mario Frias foi convidado pelo presidente para assumir a Secretaria Especial da Cultura. O artista, nas redes sociais, é defensor ferrenho do presidente.

Regina Duarte poderia permanecer no governo federal, uma vez que foi convidada para ocupar outra função. Ela sinalizou, porém, não aceitar outro posto e deverá se despedir da gestão federal.

Na saída do Palácio da Alvorada, após o café da manhã com o presidente, Regina Duarte posou para fotos com apoiadores do presidente.

Com R7

Open chat