Secretário adjunto de Saúde do RN faz alerta: “Estamos mais perto do lockdown que da flexibilização”

Foto: Elisa Elsie/Governo do RN

O secretário adjunto de Saúde do Rio Grande do Norte, Petrônio Spinelli afirmou nesta quarta-feira (6) que “Nós estamos mais perto do lockdown (bloqueio total) do que da flexibilização”, ao relatar uma situação “dramática” em relação à contaminação do novo coronavírus no estado.

O bloqueio total, conhecido como lockdown foi instituído nesta semana em cidades do Maranhão e do Pará, e já é estudado em outras áreas do país, como Recife e Rio de Janeiro. Nele, a população só pode sair de casa para realização de atividades essenciais, como ir ao supermercado ou a uma consulta médica.

Petrônio Spinelli alertou que os gestores estão enfrentando dificuldades para colocar leitos de UTI em funcionamento, enquanto a demanda pelos serviços aumenta. “Estamos abrindo os leitos, mas rapidamente eles estão sendo ocupados”, declarou o secretário.

De acordo com dados do boletim epidemiológico desta quarta (6), o estado tem 227 pessoas internadas, com suspeita ou confirmação para a Covid-19. 68 estão em UTI e 56 em leitos semi-intensivo. O crescimento é de mais de 130% em relação a duas semanas atrás.

Para as autoridades de saúde do estado, o aumento do número de casos é causado principalmente pela redução do isolamento social e das aglomerações em filas de bancos, registradas nos últimos dias. Para o secretário, há uma “falsa impressão” da população de que há cidades e regiões sem a doença e de que o uso de máscaras é suficiente para prevenção, o que permite que as pessoas saiam de casa. A taxa de isolamento da população, segundo ele, estaria em 40%, muito abaixo do ideal de 60%.

Com acréscimo de informações do G1-RN

Deixe uma resposta

Open chat