Dia: 7 de novembro de 2019

Após decisão do STF, defesa de Lula vai pedir soltura imediata

Imagem: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Martins, que defendem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), informaram que pedirão já nesta sexta a soltura imediata do petista depois da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), tomada nesta noite, vetando a execução da pena após condenação em segunda instância.

O Supremo retomou o entendimento de que um réu só pode cumprir pena depois de esgotados todos os recursos. Lula já foi condenado em três instâncias no caso do tríplex, da Operação Lava Jato, mas ainda pode recorrer ao STF.

“Após conversa com Lula nesta sexta-feira, levaremos ao juízo da execução um pedido para que haja sua imediata soltura com base no resultado desse julgamento do STF, além de reiterarmos o pedido para que a Suprema Corte julgue os habeas corpus que objetivam a declaração da nulidade de todo o processo que o levou à prisão em virtude da suspeição do ex-juiz Sergio Moro e dos procuradores da Lava Jato, dentre inúmeras outras ilegalidades”, disseram Zanin e Valeska em nota divulgada logo após o julgamento no STF.

Ainda segundo os advogados, o julgamento de hoje “reforça que o ex-presidente Lula está preso há 579 dias injustamente e de forma incompatível com a lei (CPP, art. 283) e com a Constituição da República (CF/88, art. 5º, LVII)”.

A defesa do ex-presidente afirma ainda que Lula “não praticou qualquer ato ilícito e é vítima de ‘lawfare’, que, no caso do ex-presidente, consiste no uso estratégico do Direito para fins de perseguição política.”

Em tese, para que a decisão de hoje tenha efeito, o Supremo precisa primeiro publicar o acórdão do julgamento (documento que contém a determinação do tribunal), e isso pode levar até dois meses para acontecer.

A Justiça Federal do Paraná, responsável por executar a pena de Lula, também precisa ser formalmente comunicada da decisão do Supremo —ou provocada a agir pela defesa do ex-presidente, como os advogados pretendem fazer— para autorizar a soltura.

Uol

São Paulo do Potengi: Pacelli Souto assina ficha de filiação partidária do MDB

Fotos: Rômulo Dantas 

Com a presença do Presidente Nacional do MDB, Baleia Rossi, a presidente do MDB Mulher no RN, advogada Kátia Nunes, e a presidente nacional do MDB Mulher, ex-deputada federal Fátima Pelaes, como também de várias lideranças no RN, o engenheiro Pacelli Souto assinou ficha de filiação partidária ao MDB.

O evento aconteceu no auditório do hotel Praiamar.

Vale salientar que a ex-prefeita Nini Souto, mãe de Pacelli, foi uma das Pioneiras do partido no Estado e fundadora em São Paulo do Potengi. “Diante ao histórico dela e do partido em nosso município, ingressaremos e vamos encorpar essa luta por um município mais justo e mais forte”, disse Souto.

Ministro contesta previsões e diz que RN vai receber R$ 423 milhões com cessão onerosa

Sandro Menezes / Governo do RN

O ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos, disse nesta quinta-feira, 7, durante visita a Natal, que o Governo do Rio Grande do Norte deverá receber R$ 423 milhões do megaleilão de petróleo realizado ontem. O valor é quase o triplo do que esperava a governadora Fátima Bezerra, já que as previsões do governo apontavam para um repasse de cerca de R$ 160 milhões.

O secretário de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire, admitiu que o governo estadual foi surpreendido positivamente com a notícia. “Recebemos a notícia com uma surpresa muito grande. Não sabíamos de nada disso. Por enquanto, é um anúncio verbal, não recebemos nenhum comunicado por escrito. Não sabemos como o governo vai proceder para garantir esses recursos. Estamos tão surpresos quanto vocês”, disse a jornalistas após sair de uma reunião com o ministro.

A verba a ser repassada ao Rio Grande do Norte é proveniente do leilão da fatia excedente da chamada cessão onerosa do pré-sal. Na negociação, o governo federal faturou R$ 69,9 bilhões. Parte desses recursos serão divididos com estados e municípios. O governo Fátima Bezerra chegou à previsão de R$ 160 milhões ao considerar regras de partilha aprovadas pelo Congresso Nacional.

Agora RN

Deputados aprovam consesp, revisão de subsídio de procurador e defensor público

A Assembleia Legislativa aprovou, nesta quinta-feira (07), o projeto de Lei Nº: 0017/2019, de iniciativa do Governo do Estado, que institui o Conselho Estadual de Segurança Pública e de Defesa Social do Rio Grande do Norte (Consesp/RN), os Conselhos Comunitários de Defesa Social (CCDS) e dispõe sobre o Fundo Estadual da Segurança Pública e de Defesa Social (Funsep), a unanimidade. Quatro emendas foram encartadas ao projeto e também foram aprovadas a unanimidade pelos vinte a quatro deputados presentes em plenário.

“A aprovação desse projeto de Lei vai permitir que o Estado receba, nos próximos meses, recursos do Governo Federal direcionados para a segurança pública, principalmente, na aquisição de equipamentos para a Polícia Militar”, explicou o deputado George Soares (PL), líder do governo.

Durante a votação foi aprovado o projeto de Lei Nº: 0005/2019, que dispõe sobre o subsídio mensal dos defensores públicos do RN. Também foram aprovados os projetos de Leis Nº: 1224/2019 e o Nº: 0012/2019, que dispõem sobre a revisão do subsídio mensal dos procuradores da Assembleia e revisa o subsídio mensal dos Procuradores do Estado, respectivamente, todos por maioria dos votos.

Durante a votação da emenda ao projeto de Lei Nº 12/2019, de autoria do deputado Nelter Queiroz (MDB), que estendia o aumento salarial concedido aos procuradores do Estado, a todos os servidores públicos estaduais (ativos, inativos, pensionistas e da administração direta e indireta), de 16,38%, o líder do governo, George Soares (PL), encaminhou o voto de abstenção da bancada do Governo na Assembleia. “Para não atrapalhar a votação da emenda do deputado Nelter, eu encaminho o voto de abstenção da bancada do Governo”, explicou George. A emenda, portanto, foi prejudicada, não tendo os 13 votos necessários.

ALRN

Deputado Allyson vota a favor de emenda que aumenta salário de todos os servidores estaduais

O deputado estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) votou a favor da emenda que institui o aumento de salário de 16,38% para todos os servidores públicos do estado do Rio Grande do Norte. A emenda teve 11 votos a favor e 13 abstenções em sessão ordinária realizada nesta quinta-feira (07), no plenário Clóvis Motta. Portanto, não foi aprovada.

“Em nome da bancada do Solidariedade afirmamos a nossa responsabilidade em estar votando esse projeto hoje aqui na Assembleia. Ressaltamos que o projeto de aumento salarial dos procuradores foi enviado pelo governo estadual para a Casa Legislativa e nós fazemos uma defesa responsável pelo reajuste para todos os servidores estaduais. Se vão aumentar o salário dos procuradores do estado, que ganham mais de R$ 30 mil, que o aumento se estenda para as demais categorias, que por sinal estão há mais de 10 anos sem reajuste e seguem com três meses de salários atrasados. Essa é a nossa defesa aqui hoje, em defesa da isonomia salarial para todos os servidores”, afirmou Allyson Bezerra, que assim orientou a bancada do partido.

Os deputados Kelps Lima e Cristiane Dantas, que integram a bancada do Solidariedade, seguiram a orientação do líder da bancada e votaram a favor dos servidores públicos estaduais.

Policiais civis protestam na Governadoria e cobram reunião com Fátima Bezerra

Os policiais civis do Rio Grande do Norte realizam um protesto em frente à Governadoria, nesta quinta-feira, 7, e cobram uma reunião com a governadora Fátima Bezerra. A categoria quer que a chefe do Executivo assuma o comando das negociações da reestruturação da carreira.

“Na manhã desta quinta-feira houve uma reunião na Secretaria da Administração, no entanto, fomos surpreendidos mais uma vez com outra mudança de postura do Governo na negociação. Durante todo o período de tratativas, as construções foram feitas de uma forma, agora, mudaram o entendimento”, comenta Nilton Arruda.

O presidente do SINPOL-RN explica que os policiais civis chegaram a aprovar uma proposta construída na terça-feira, 5, e suspenderam a Operação Zero que tinha sido deflagrada naquele dia.

“Agora, a categoria decidiu recusar o novo modelo da proposta e deliberou por cobrar da governadora Fátima Bezerra a presença dela na mesa de negociação”, finaliza.

Os policiais civis passarão o dia concentrados em frente à Governadoria até que sejam recebidos pela chefe do Executivo.

Agora RN