Dia: 18 de julho de 2019

Novas mensagens vazadas apontam que Moro interferiu em negociação de delações

Novas mensagens vazadas apontam que Moro interferiu em negociação de delações

A Folha de São Paulo publicou nesta quinta-feira (18) mais mensagens vazadas supostamente trocadas entre os procuradores da Lava Jato. Dessa vez, o conteúdo indica que o atual ministro da Segurança, Sérgio Moro, interferiu nas negociações das delações de dois executivos da construtora Camargo Corrêa. As mensagens foram obtidas pelo The Intercept Brasil.

Moro teria avisado aos procuradores que só homologaria as delações se a pena proposta aos executivos incluísse pelo menos um ano de prisão em regime fechado. Segundo a Lei das Organizações Criminosas, de 2013, que definiu as regras para delações premiadas, os juízes devem se manter distantes das negociações e têm como obrigação apenas a verificação da legalidade dos acordos após a sua assinatura.

No dia 25 de fevereiro de 2015, Deltan revelou nas mensagens achar arriscado desprezar a opinião de Moro e queria que o colega procurador, Carlos Fernando, desse mais atenção ao juiz. “Você quer fazer acordos da Camargo mesmo com pena de que o Moro discordo?”, perguntou. “Podemos até fazer fora do que ele colocou (quer que todos tenham pena de prisão de um ano), mas tem que falar com ele sob pena de ele dizer que ignoramos o que ele disse”, acrescentou.

Grande Ponto

Proposta de Styvenson pode impedir filho de Bolsonaro em embaixada nos EUA

Fotos: Waldemir Barreto/Agência Senado

O senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) defendeu nesta segunda-feira (15), em Plenário, que o nepotismo — quando um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes — esteja descrito como proibido em Constituição.

O parlamentar explicou que está colhendo assinaturas para apresentar uma PEC que altera os artigos 37 e 87 da Constituição Federal para extinguir essa prática no país.

— Eu quero cortar. Eu quero acabar com isso. Nem filho, nem neto, nem ninguém. Agora é de vez, é na Constituição mesmo. Se existe alguma brecha, se existe alguma possibilidade, é extrair toda e qualquer oportunidade para que isso aconteça — ressaltou.

Caso seja aprovada, a proposta do senador poderia, por exemplo, impedir a nomeação do deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, para ocupar a embaixada brasileira nos Estados Unidos.

Agência Senado

Open chat