“O processo deve ser anulado e Lula deve ser libertado”, diz Fátima

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), se pronunciou na noite da última segunda-feira, 10, sobre o vazamento de conversas entre Ministro Sérgio Moro, o procurador da República e diretor da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dellagnol, e outros procuradores envolvidos na operação. O conteúdo foi veiculado no site The Intercept Brasil.

“Eu nunca perdi a esperança de que esse país iria voltar a fazer justiça, mas desde a noite de ontem, com o vazamento das últimas notícias, eu acredito um pouco mais”, publicou a governadora em sua conta no Twitter.

Fátima ainda afirmou que a reportagem publicada pelo site deixa clara a falta de convicção da promotoria ao fazer a acusação contra o ex-presidente Lula. “O processo deve ser anulado e Lula deve ser libertado”, concluiu.

O site The Intercept Brasil publicou na noite de quinta-feira, 9, uma série de reportagens, dividida em quatro partes, que mostrava o conteúdo de conversas privadas, pelo aplicativo de chat Telegram, nas quais o ministro da Justiça Sergio Moro, se comunicava com o procurador Deltan Dallagnol e outros profissionais envolvidos na força-tarefa da Operação Lava Jato.

As publicações, assinadas pelos jornalistas Glenn Greenwald, responsável por levar a público as informações do caso Edward Snowden, Rafael Moro Martins, Alexandre de Santi, Leandro Demori, Victor Pougy e Betsy Reed, também foram resumidos em duas reportagens em inglês, veiculadas no site matriz, The Intercept.

O acervo, cedido por uma fonte anônima, contaria com mensagens privadas, gravações em áudio, vídeos, fotos, documentos judiciais e outros itens, que revelam “comportamentos antiéticos e transgressões que o Brasil e o mundo têm o direito de conhecer”, segundo uma das próprias publicações do site.

Além da governadora potiguar, outros parlamentares também se pronunciaram nas redes sociais, entre eles a deputada federal Natália Bonavides (PT), o senador Jean Paul Prates (PT) e o deputado federal General Girão (PSL).

Agora RN

Deixe uma resposta