Dia: 8 de março de 2019

2019 já com cara de 2020 em Parnamirim

 

Em 2020, o prefeito Rosano Taveira (PRB) vai em busca de sua reeleição defendendo o legado de 20 anos de um grupo político que começou com Agnelo Alves, passou por Maurício Marques e agora o tem como líder do grupo. Hoje, Taveira tem o apoio de praticamente todos os vereadores na Câmara, já que apenas Nilda e Fativan são declaradamente de oposição. Com as pesquisas a serem feitas mais a adiante, saberemos qual o nível de aceitação e de rejeição do líder do executivo municipal. As dúvidas, por enquanto são sobre o partido que seu grupo deve seguir e se seu grupo continuará coeso haja vista que muito se fala na possibilidade de um grupo de vereadores romper com o prefeito.

O segundo nome dado como certo na disputa é o do professor e empresário Daniel Américo, do Partido Novo. Daniel é líder do Núcleo do Partido Novo em Parnamirim e seria o candidato da “Nova Política”, por defender pautas como a redução de impostos, redução no número de cargos comissionados, corte no número de secretarias e corte nos privilégios para políticos.

Correndo por fora, o terceiro nome é o de Airene Paiva, dono de cartório e primo do ex-deputado Carlos Augusto Maia. O grupo, do qual Airene faz parte, disputou as últimas eleições pelo Partido Comunista do Brasil – PC do B e apoiou a candidatura de Fátima Bezerra para o governo do Estado. Airene pode ser o candidato da esquerda de Parnamirim em 2020.

No 3° maior município do RN muita gente respira política o ano todo. Para esse público, as eleições de 2020 já começaram. E, ainda que dois anos sejam muito tempo nos parâmetros políticos, já é possível observar a configuração que vem sendo desenhada no cenário político de Parnamirim. É 2019 com cara de 2020.

Olavo de Carvalho pede que seus alunos deixem governo Bolsonaro

Olavo de Carvalho pede que seus alunos deixem governo Bolsonaro

Considerado o “guru” intelectual de Jair Bolsonaro, o filósofo Olavo de Carvalho orientou aos alunos que teve e que ganharam cargos na nova gestão a deixarem o governo. Em publicação nas redes sociais nesta sexta-feira, 8, ele diz que a equipe de Bolsonaro está cheia de inimigos do próprio presidente e do povo.

“Jamais gostei da ideia de meus alunos ocuparem cargos no governo, mas, como eles se entusiasmaram com a ascensão do Bolsonaro e imaginaram que em determinados postos poderiam fazer algo de bom pelo país, achei cruel destruir essa ilusão num primeiro momento”, escreveu.

“Mas agora já não posso me calar mais. Todos os meus alunos que ocupam cargos no governo – umas poucas dezenas, creio eu – deveriam, no meu entender, abandoná-los o mais cedo possível e voltar à sua vida de estudos”, continuou. “O presente governo está repleto de inimigos do presidente e inimigos do povo, e andar em companhia desses pústulas só é bom para quem seja como eles.”

O professor vem criticando o vice-presidente Hamilton Mourão. “O maior erro de minha vida de eleitor foi apoiar o General Mourão”, escreveu na terça-feira (5). “Não cessarei de pedir desculpas por essa burrada”. Na quinta-feira, 7, quando questionado sobre as críticas, Mourão respondeu o gesto de um beijo com a mão.

Influência

É atribuída a Olavo de Carvalho a indicação de Ernesto Araújo para ocupar o Ministério das Relações Exteriores no governo de Jair Bolsonaro. Com informações do Estadão Conteúdo.

Lei de Kelps em vigor no RN livre mulheres do constrangimento de viverem escondidas

Uma lei criada por Kelps no Rio Grande do Norte permite mais agilidade para que homens que agridem mulheres sejam punidos com a tornozeleira eletrônica.

Antes desta lei, o que acontecia na prática é que as mulheres que eram agredidas, mesmo sendo vítimas, continuavam em estado de constrangimento, porque o agressor ficava solto até a sentença e podia persegui-la na rua ou na casa onde ela estivesse vivendo. “Então, as mulheres precisavam viver escondidas e sem sair livremente pela cidade com medo de serem abordadas e ameaçadas pelos agressores”, explica Kelps. Com a chegada da lei, todo homem enquadrado em denúncia formal de maus-tratos contra as mulheres já pode receber a tornozeleira que emite sinais eletrônicos caso ele se aproxime das vítimas.

“Com a tornozeleira, o jogo vira. O agressor é que passa a sofrer às admoestações. Ele fica visado como um perigo para as mulheres, o que o pune socialmente, e fica com medo de se aproximar das vítimas e trocar a liberdade vigiada por um cárcere brasileiro”, diz Kelps.

Igarn projeta reservas hídricas em até 50% após período de chuvas

O interior do Rio Grande do Norte está entrando na sua quadra invernosa. Os mananciais potiguares, em algumas regiões, já começaram a ter aumento de volume. Entre os 45 reservatórios monitorados pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas (Igarn), que possuem capacidade superior a cinco milhões de metros cúbicos, a estimativa definida pelo setor de monitoramento é que, seguindo a perspectiva de um inverno dentro do normal, as reservas hídricas superficiais possam terminar o período de chuvas com, aproximadamente, 50% do total que conseguem acumular, que é de 4,411 bilhões de metros cúbicos.

O diretor-presidente do Igarn, Caramurú Paiva, ressalta que caso se confirme uma quadra invernosa dentro da normalidade e os reservatórios atinjam os 50% das reservas hídricas superficiais totais, o estado do Rio Grande do Norte atingirá sua melhor situação de abastecimento desde 2013, quando, ao final do inverno no interior, acumulou 45,01% da capacidade total das bacias hidrográficas. “Em 2014, acumulou 39,93%; em 2015, 26,99%; em 2016, 20,18%; em 2017, 17,72%; e 2018, 31,50%”, relembra o diretor.

Com relação aos principais reservatórios estaduais, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves, com capacidade para 2,4 bilhões de metros cúbicos, atualmente acumula 495,745 milhões de m³, em termos percentuais, 20,66% de sua capacidade. No início de março de 2018, a ARG acumulava 284,986 milhões de m³, ou apenas 11,87% de máximo que consegue acumular.

Já a barragem Santa Cruz do Apodi, com capacidade para 600 milhões de metros cúbicos, atualmente acumula 133,582 milhões de metros cúbicos. No mesmo período do ano passado estava com 13,84%, o que corresponde a 82,978 milhões de metros cúbicos.

Outro grande reservatório, Umari, que possui capacidade para 292 milhões de metros cúbicos, atualmente acumula 97,899 milhões de metros cúbicos. No mesmo período do ano passado estava com 13% de sua capacidade, 39,230 milhões de m³.

Atualmente, 7 reservatórios estão em volume morto, o que corresponde a 15,55% do total de açudes monitorados. Já os completamente secos são 8, em termos percentuais, 17,77%. No início de março de 2018, 17 mananciais estavam em volume morto e 15 secos.

Situação das lagoas

A lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, está com 7,350 milhões de metros cúbicos, ou 66,38% do seu volume máximo que é de 11 milhões de metros cúbicos. Já a lagoa do Bonfim, que atende à adutora Monsenhor Expedito, 43,350 milhões de m³, ou 51,44% do seu volume total. A Lagoa do Jiqui permanece com 100% da sua capacidade.

Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) declara situação de emergência na Ponte de Igapó

Está no Diário Oficial da União desta sexta-feira(08) o ato em que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) declara situação de emergência na Ponte Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Ponte de Igapó, que passa sobre o Rio Potengi ligando as zonas Norte e Oeste de Natal.

No documento, o superintendente regional substituto do Dnit no Rio Grande do Norte, Danyel Flávio Lopes de Paiva ratificou uma declaração da situação de emergência feita pela coordenação de engenharia do órgão.

Os técnicos constataram comprometimento estrutural de pilares e vigas da estrutura. Do lado direito da ponte, foram notificados problemas em pelo menos 11 pilares pilares, além de trechos de 1 metro das vigas entre os pilares P3 e P4, entre os pilares P4 e P5 e entre o pilar P16 e o encontro E2.

Do lado esquerdo da ponte, chamaram atenção dos técnicos trechos de 2 metros das vigas longitudinais de extremidade do tabuleiro ferroviário, “nos pontos próximos aos apoios entre os pilares P9 e P10, entre os pilares P10 e P11, entre os pilares P11 e P12, entre os pilares P12 e P13 e entre os pilares P13 e P14”.

No mês passado, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, informou que a situação da Ponte de Igapó, localizada na BR-101/RN, estava sendo tratada com a mais alta prioridade. Desde então, o órgão realizou um estudo de adequação do projeto e orçamentação necessários para a realização da licitação, cujo certame poderá lançado neste mês.

Com 606 metros de extensão e 12 metros e meio de largura, a Ponte de Igapó recebe, diariamente, cerca de 80 mil veículos, 37 linhas de ônibus e 13 viagens de VLT.

A última manutenção na Ponte de Igapó foi realizada em 1990. De lá pra cá, os moradores não têm conhecimento de nenhum reparo feito na estrutura.

Mesmo com a declaração, a ponte continua com tráfego aberto aos veículos.

BG