“A Barragem de São Paulo do Potengi não tem nenhuma situação de risco”, disse Caramuru Paiva; Diretor-Presidente do IGARN

Fotos: Lucas Tavares

Na manhã desta quarta-feira, 30, o Diretor-Presidente do Instituto de Gestão das Águas do RN-IGARN, Caramuru Paiva, juntamente com técnicos e profissionais da Defesa Civil do RN e Professores da UFRN estiveram em São Paulo do Potengi realizando uma visita técnica a Barragem Campo Grande, na qual servirá para estudo do IGARN.

Diante da situação que aconteceu nos últimos dias em Minas Gerais, o IGARN, Defesa Civil do RN e UFRN estarão realizando nos próximos dias em algumas barragens do RN, que apresenta riscos, um monitoramento da situação das mesmas. O monitoramento se dará através de tecnologia de ponta. Com esse estudo, estará sendo implantado o Centro de Estudos e Pesquisas sobre desastres.

“Dentro deste Centro de Pesquisas entrará também para vistoria e monitoramento efetivo das barragens. Essa tecnologia que esta sendo trazida de monitoramento passivo, a universidade através do Departamento de Geologia já tem os laboratórios e equipamentos. Aqui na barragem Campo Grande será um laboratório para aferimos os dados. A partir dai irão ser desenvolvidas as políticas justamente que irão determinar o modo de agir do IGARN. O trabalho ele vai se expandir para todas as barragens catalogadas”, disse Carvalho, Ten. Cel. da Defesa Civil do RN.

Acompanhando Caramuru Paiva, esteve presente o Professor de Geologia da UFRN, Vanildo Pereira; Antônio Rigueto, Coordenador de Gestão do IGARN e técnicos da Defesa Civil do RN.

“A Barragem de São Paulo do Potengi não tem nenhuma situação de risco. A escolha daqui foi pela proximidade de Natal, pela facilidade que representa as condições dela para aplicar um estudo teste de uma tecnologia inovadora que vai ser implantada no RN. É preciso avançar e aperfeiçoar, a tecnologia desenvolvida no RN pela UFRN da qual o IGARN se insere nessa parceria, vai oportunizar um salto imenso de qualidade e confiabilidade nas informações. Colocando o RN na ponta do que ar de mais moderno em termo de Brasil, para verificação e antecipação de possíveis acidentes”, disse Caramuru Paiva.

Deixe uma resposta