RN tem sete municípios em colapso e 90 em rodízio de abastecimento de água, diz Caern

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves — Foto: Anderson Barbosa/G1

G1/RN – As chuvas do inverno deste ano foram insuficientes para encher os reservatórios e provocam, neste período do ano, dificuldade de abastecimento em alguns municípios atendidos pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), informou a empresa. As regiões mais afetadas pela crise hídrica são Oeste, Alto Oeste e Seridó. O estado tem sete cidades em colapso e 90 municípios em rodízio de abastecimento, conforme atualização desta terça-feira (23).

Na região Oeste, as cidades atendidas pela adutora Médio Oeste, como Triunfo Potiguar, Campo Grande, Janduís, Messias Targino, Patu e Paraú, estão sendo atendidas pelo sistema de rodízio após a recuperação da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, que saiu do volume morto no inverno deste ano.

Atualmente, a Armando Ribeiro está com 24,32% de sua capacidade total, de acordo com Instituto de Gestão de Águas do Rio Grande do Norte (Igarn). Entretanto, a equipe da Caern já fez uma mudança no local de captação de água porque o volume reduziu. Em setembro de 2018, as bombas tiveram que entrar mais de 80 metros dentro da barragem para conseguir atender estas cidades.

Com a redução gradual da água da barragem, a captação de água também vai reduzindo, o que dificulta, por exemplo, o abastecimento da cidade de Patu, que é a cidade mais distante da captação localizada na Armando Ribeiro no município de Jucurutu.

Alto Oeste tem 6 cidades em colapso
Em Pau dos Ferros, no início deste mês, a equipe da Caern deslocou as bombas para a parte mais profunda da barragem daquela cidade. A barragem de Pau dos Ferros deverá ter água suficiente para mais quatro meses de abastecimento.

De acordo com a Caern, a cidade de Tenente Ananias está fora da situação de colapso. Atualmente, quase toda a cidade está sendo abastecida e equipes trabalham na manutenção de parte da tubulação para contemplar as áreas que ainda não estão recebendo água.

Por outro lado, seis cidades do Alto Oeste estão recebendo água de carro pipa por meio da operação Vertente, que atende cidades em colapso. Os açudes das cidades de São Miguel, Pilões e Paraná não acumularam água para retomar o abastecimento das mesmas. Já em Luiz Gomes, a Caern está fazendo a recuperação das redes de água da cidade porque elas ficaram muito danificadas ao longo dos anos em que a cidade permaneceu sem abastecimento.

A cidade de Almino Afonso teve a sua Estação de Tratamento de Água recuperada pela Companhia, o abastecimento foi retomado, mas a população não está sendo satisfatoriamente abastecida porque existem vazamentos. A normalização do abastecimento deve ocorrer ao longo do mês de novembro. Já a cidade de João Dias é abastecido pela adutora Alto Oeste, mas ela vem apresentando vazamentos, o que dificulta o abastecimento da cidade, que é a última a ser atendida. A Caern tem tomado medidas preventivas para evitar tai vazamentos.

Seridó
Em Caicó, a Caern deixou de captar água, esta semana, pelo açude Itans e está fazendo a captação no rio Piranhas-Açu, em Jardim de Piranhas, com o transporte de água pela adutora Manoel Torres. O Itans que está com 5,27% de sua capacidade ficará como reserva técnica. Na Região do Seridó a cidade de Cruzeta está em colapso, sendo atendida por carro pipa, e as cidades de Ouro Branco e São José do Seridó estão com abastecimento parcial porque os poços tiveram redução de vazão. As prefeituras de Ouro Branco e São José do Seridó estão fazendo o abastecimento por carro pipa das áreas que a Caern não está conseguindo abastecer.

Para atender as cidades de Currais Novos, Acari, Bodó, Cerro-Corá, Florânia, Lagoa Nova, Tenente Laurentino Cruz, São Vicente e Jucurutu, que são abastecidas pelo Sistema Produtor Integrado Serra de Santana, a Caern precisou realocar o ponto de captação na Barragem Armando Ribeiro, afastando 3km do ponto anterior.

“A Caern orienta que a população faça o uso racional da água disponível, principalmente, porque os prognósticos apontam que há uma atuação do El Niño, que prejudicará o inverno de 2019”, informou a companhia.

Deixe uma resposta