Central de Corte do Pró-Sertão: Comitiva vai a maior feira para indústria têxtil das Américas

Uma comitiva liderada pelo Sebrae-RN e pela Prefeitura de Parelhas participou esta semana da Febratex – Feira Brasileira para a Indústria Têxtil, considerada a maior do setor nas Américas. No evento, encerrado nesta sexta-feira (24) em Blumenau (SC), o grupo se reuniu com vários potenciais fornecedores da futura Central de Corte Industrial, que será construída no município do Seridó potiguar. Com a obra deverão ser atraídos ainda mais investidores para o Pró-Sertão, o Programa de Industrialização do Interior, criado pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB).

“O Rio Grande do Norte, que sempre teve uma vocação nesta importante área econômica, poderá se transformar em uma referência para o país em breve. São pequenos municípios que estão se transformando por meio da geração de emprego e renda. E a expectativa é que o Pró-Sertão cresça muito mais nos próximos anos”, disse Rogério Marinho.

O deputado criou o Pró-Sertão em 2013, quando esteve na Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado. Na época, articulou a união de instituições como Sebrae e Senai, para capacitar e qualificar mão de obra, e de gigantes do setor têxtil no país, como Guararapes e Hering. Atualmente, são 61 oficinas de costura integrantes do projeto espalhadas pelo RN, gerando quase 5 mil empregos diretos.

“Parelhas terá a Central de Corte do Seridó, o recurso para a construção do espaço e a compra de máquinas já está empenhado junto ao Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio”, disse o prefeito de Parelhas, Alexandre Petronilo, por meio das suas redes sociais. O próprio gestor divulgou a agenda durante a Febratex, que ainda contou com visitas técnicas com membros do Sebrae e da Associação Seridoense de Confecções (Asconf) às empresas do seguimento têxtil de Santa Catarina.

Alexandre Petronilo fez questão de acrescentar que os recursos de R$ 3 milhões para a construção da Central de Corte foram frutos de emendas destinadas por Rogério Marinho. Desse total, cerca de R$ 1,3 milhão será para o galpão industrial, enquanto R$ 1,7 milhão para a aquisição de equipamentos.

A Febratex apresenta, a cada dois anos, as principais inovações tecnológicas e lançamentos para o setor têxtil e de confecção. Durante os quatro dias do evento, encerrado nesta sexta-feira (24), visitantes e compradores vindos dos principais polos de confecção do Brasil e da América Latina tiveram acesso às novidades de mais de 2,4 mil marcas nacionais e internacionais. Em 2018 a Feira completou 16 anos.

Deixe uma resposta