PSTU apresenta professor Dário Barbosa como pré-candidato ao governo do RN

Dário Barbosa é professor da rede pública estadual de ensino

Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) reuniu militantes e apoiadores na sede da legenda, em Natal, definiu suas pré-candidaturas às eleições deste ano no Rio Grande do Norte. Como pré-candidato ao governo do Estado, o PSTU apresenta o nome do professor da rede pública estadual, Dário Barbosa, e o da professora de Extremoz, Socorro Ribeiro, para vice. Ambos são reconhecidos militantes socialistas e respeitados no movimento sindical potiguar.

O partido também apresentou pré-candidaturas ao Senado Federal, com a professora Ana Célia Siqueira, de Ceará-Mirim, e o servidor da saúde e líder comunitário em Mossoró, João Morais. Integram a chapa socialista para a Câmara dos Deputados o trabalhador da Urbana, Silvino Baú, e o funcionário da Petrobras, Ubirajara Queiroz. Já para a Assembleia Legislativa do RN, os pré-candidatos são a professora Luciana Lima, candidata a vice-prefeita de Natal em 2016, e o enfermeiro e coordenador geral do Sindsaúde/RN, Manoel Egídio.

As pré-candidaturas de Dário Barbosa e Socorro Ribeiro apresentam programa socialista para o Rio Grande do Norte. “Para atender de fato as necessidades de emprego, saúde, segurança, educação e demais direitos, é preciso tomar medidas revolucionárias, como cobrar toda a dívida de impostos das grandes empresas caloteiras, acabar com a transferência de recursos públicos para o setor privado e construir um Plano de Obras Públicas capaz de gerar emprego para os milhares de desempregados do RN.”, defende Dário Barbosa.

O pré-candidato destaca ainda que o momento de grave crise econômica e política exige que os trabalhadores tomem as ruas e assumam o controle do poder no país e nos estados. “É preciso uma grande rebelião da classe trabalhadora no RN, como parte de um grande movimento nacional que resulte numa revolução socialista. Não dá mais para aceitar essa guerra social dos patrões, dos governos e dos corruptos contra os nossos direitos. O poder dos ricos e poderosos, das elites, dessa burguesia, tem que acabar. Se os trabalhadores são a maioria no país e produzem tudo, por que não podem governar?”, questiona.

AGORA RN

Deixe uma resposta