Dia: 7 de maio de 2018

Fábio Dantas estará na Região do Potengi nesta quarta-feira, 09

De acordo com informações que o Blog recebeu na manhã desta segunda-feira, 07, o pré-candidato ao Governo do Estado, Fábio Dantas, estará na Região do Potengi nesta quarta-feria, 09, mas precisamente nas cidades; Ruy Barbosa, São Tomé, Barcelona, Lagoa de Velhos e São Paulo do Potengi.

O mesmo estará acompanhado de lideranças do Potengi, o Vereador de Barcelona, Israel Mafra e o Vereador Diogo Alves de São Paulo do Potengi.

Fábio Dantas vem ao Potengi para intensificar a sua agenda com o projeto “Ouvir para Realizar”.

Fábio Dantas intensifica agenda no interior com “Ouvir para Realizar”

A partir desta semana, o pré-candidato ao Governo do Estado, vice-governador Fábio Dantas (PSB), vai intensificar sua agenda no interior do Rio Grande do Norte. Com o projeto “Ouvir para Realizar”, Fábio pretende visitar 40 cidades potiguares ainda este mês, para iniciar a elaboração do plano de gestão que pretende apresentar na campanha que se aproxima. A agenda vai ser iniciada pelas regiões do Potengi e Mato Grande.

“A única forma de fazer um bom governo é ter humildade para ouvir as pessoas, quantificar e hierarquizar as percepções dos cidadãos para orientar um plano de ação e sua competente execução, com o objetivo de entregar serviços públicos de qualidade a população”, esclareceu o pré-candidato, que escolheu as regiões do Potengi e do Mato Grande para iniciar a dinâmica.

Fábio explicou que “Ouvir para Realizar” foi criado junto ao partido a partir da percepção de que o Estado precisa de todos. Segundo ele, em encontros com lideranças municipais e a população em geral, além de visitas técnicas, será possível elaborar um diagnóstico atualizado das demandas municipais e aproveitar as ideias apresentadas para melhorar a vida das pessoas. A ideia é sistematizá-las para orientar estrategicamente o plano de gestão.

“Um governador precisa ter uma visão atualizada das dificuldades e potencialidades municipais, como estão os municípios hoje, onde eles querem chegar, quais caminhos escolher, o que será feito para entregar a população serviços públicos de qualidade e no tempo certo”, completou o pré-candidato ao Governo do PSB, que acrescentou: “após essa primeira etapa, vamos visitar outros municípios. Queremos ouvir todo o RN”.

Potengiense participa de Encontro do PSDB em Natal

 

Na manhã desta segunda-feira, 07, no Auditório Deputado Cortez Pereira na Assembleia Legislativa do RN, aconteceu o I Encontro Estadual Vereadores do PSDB. Promovido pelo diretório estadual, através do seu dirigente, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza, em parceria com o diretório de Natal, gerido pelo vereador Dickson Júnior, o Encontro teve como objetivo fortalecer o mandato de vereador no Rio Grande do Norte, assim como debater o seu papel no fortalecimento do PSDB.

Presente os Deputados Estaduais do RN, lideranças e vereadores do Partido.

O Vereador Diogo Alves de São Paulo do Potengi participou do evento. Ultimamente o Vereador vem participando de vários eventos políticos com o vice-governador, Fábio Dantas, corre nos bastidores da política que o mesmo possivelmente será um líder na região do Potengi para o governadorável Dantas.

 

Prisão em 2ª instância volta à pauta da Câmara

A decisão do Supremo de restringir o foro privilegiado de congressistas ressuscitou na Câmara o debate sobre o momento em que deve ocorrer a prisão de condenados. Voltará a andar na Comissão de Constituição e Justiça uma emenda constitucional que sacramenta a possibilidade de encarceramento após a confirmação da sentença na segunda instância do Judiciário, como ocorreu no caso de Lula.

Adotada em 2016 pela Suprema Corte, a jurisprudência que autoriza a prisão no segundo grau foi confirmada por uma maioria precária: 6 votos a 5. Alguns líderes partidários se articulam para colocar em pé uma alternativa mencionada em votos dos ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes. Ambos encamparam a tese segundo a qual a execução das penas deveria começar não na segunda, mas na terceira instância, após o indeferimento de recursos protocolados no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Rodrigo Maia (DEM_RJ), presidente da Câmara, evita revelar sua preferência. Mas avalia que é necessário “legislar” sobre a matéria. O deputado se queixa em privado de um fenômeno que chama de “ativismo do Judiciário”. Afirma que, a pretexto de interpretar a Constituição, o Supremo invade a atribuição do Congresso, legislando na prática. Em reação, afirma Maia, os parlamentares precisam exercer a delegação que receberam da sociedade —seja para manter, modificar ou ampliar as decisões do Supremo.

No caso da lipoaspiração do foro privilegiado dos parlamentares, que ficou restrito aos crimes cometidos no exercício do mandato e relacionados ao cargo, a intenção da Câmara é a de confirmar emenda constitucional já aprovada no Senado. Prevê a extinção do privilégio para todas as autoridades, exceto quatro: os presidentes da República, do Supremo, do Senado e da Câmara. Na quarta-feira, será instalada a comissão especial sobre o tema. Se a emenda passar, procuradores e magistrados também ficam sujeitos a arder na frigideira pilotada por juízes de primeira instância.

Quanto à encrenca da prisão na segunda instância, o processo legislativo está apenas começando. O debate se inicia em torno de proposta apresentada no final de março pelo líder do PPS, Alex Manente (SP). Prevê o seguinte: o artigo da Constituição que anota que “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória” será reescrito para estabelecer que “ninguém será considerado culpado até a confirmação de sentença penal condenatória em grau de recurso”.

A proposta do deputado Manente está na fase da “admissibilidade”, na Comissão de Constituição e Justiça. Nesse estágio, não há propriamente um debate sobre o mérito da proposição. Os deputados precisam verificar apenas se o texto do autor viola algum preceito legal ou constitucional. Não havendo violações, o normal é que os membros da comissão aprovem a tramitação da proposta. Na sequência, Rodrigo Maia instalará comissão especial para o debate de mérito. Abre-se, então, a temporada de apresentação de emendas ao texto.

O relator da PEC da Segunda Instância, como a proposta vem sendo chamada, é o deputado Rubens Bueno (PPS-PR), colega de partido de Manente. Favorável à prisão na segunda instância, Bueno disse ao blog que seu relatório atestará a “admissibilidade” da proposta. O relator pediu a realização de audiências públicas, para ampliar o debate. Mas informou que, se necessário, está pronto para apresentar suas conclusões.

Deputados que se opõem à prisão em segundo grau —sobretudo do PT e de legendas simpáticas a Lula— vêm tentando retardar a análise da proposta. Agarram-se a uma alegação frágil: a legislação brasileira proíbe a promulgação de emendas constitucionais no período de vigência de intervenções federais como a que Michel Temer decretou na área de segurança do Rio de Janeiro. A alegação é fraca porque a proibição impede a promulgação, não a tramitação de emendas constitucionais.

Alex Manente, o autor da emenda, acredita que o atraso provocado pela intervenção federal no Rio pode ser útil. Para ele, a simples tramitação “vai gerar um debate sobre o tema durante o processo eleitoral.” Algo que “forçará os candidatos a assumir um compromisso.” Otimista, o deputado acrescenta: “A prisão em segunda instância virou um sinônimo de combate à impunidade. E não será fácil para um deputado se posicionar a favor da impunidade.”

JOSIAS DE SOUZA

Justiça retoma audiências do processo de Lula envolvendo sítio de Atibaia nesta segunda-feira (7)

G1/Política

As audiências do processo sobre o sítio de Atibaia, no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é um dos réus, serão retomadas nesta segunda-feira (7). As testemunhas de defesa serão ouvidas por videoconferência de São Paulo e presencialmente em Curitiba.

As audiências por videoconferência estão marcadas para começar às 9h30, e, no período tarde, as oitivas começam às 14h.

Lula responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro nesta ação. Ele foi denunciado em maio de 2017 e se tornou réu em agosto no mesmo ano.

O processo investiga se ex-presidente recebeu propina da Odebrecht e da OAS por meio da aquisição e de reformas no Sítio Santa Bárbara, em Atibaia, no interior de São Paulo, atribuído a ele.

Conforme denúncia do Ministério Público Federal (MPF), as melhorias no imóvel totalizaram R$ 1,02 milhão.

Lula nega as acusações e diz não ser o dono do imóvel, que está no nome de sócios de um dos filhos dele. O ex-presidente afirma que todos os bens que pertencem a ele estão declarados à Receita Federal.

De acordo com a Justiça, mais de 130 pessoas foram arroladas pelas defesas dos réus no processo. Entre elas estão o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) e a ex-presidente Dilma Rousseff que prestarão depoimentos como testemunhas de defesa de Lula.

FHC deve prestar depoimento no dia 28 de maio, por videoconferência de São Paulo, e Dilma Rousseff deve falar no dia 25 de junho, por videoconferência de Porto Alegre.

Decisão STF
As audiências são retomadas quatro dias depois do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli, rejeitar o pedido da defesa de Lula para suspender o processo contra o ex-presidente na Justiça Federal do Paraná e enviar para a Justiça de São Paulo.

Os advogados fizeram o pedido baseado na decisão da Segunda Turma do STF que deteminou retirar de Sérgio Moro trechos da delação de ex-executivos da construtora Odebrecht sobre Lula.

Os ministros consideraram que as informações dadas pelos delatores da Odebrecht a respeito do sítio de Atibaia não tinha relação com a Petrobras, ou seja, com a Operação Lava Jato. No entanto, com a decisão de Toffoli, o caso do sítio continua sob a responsabilidade de Moro.

Toffoli declarou que o Ministério Público ainda poderá tentar demonstrar a ligação dos depoimentos da delação da Odebrecht com as fraudes na Petrobras.

Em Rodolfo Fernandes, Walter Alves participa de ação social e visita hospital que será reformado com recursos viabilizados por seu mandato

A convite do prefeito Wilson Filho (MDB), o deputado federal Walter Alves (MDB-RN) participou, na manhã deste domingo (6), de uma ação social no município de Rodolfo Fernandes, a 369 quilômetros de Natal. Na oportunidade, o parlamentar também visitou o Hospital Municipal Mamãe Socorro. A unidade será reformada com recursos viabilizados pelo deputado.

O município de Rodolfo Fernandes completa 56 anos de emancipação política na próxima quarta-feira, dia 9 de maio. Para comemorar a data, a prefeitura realiza uma série de eventos ao longo desta semana. A programação teve início hoje com uma ação social no Centro de Saúde Antônio Simão.

O deputado Walter Alves participou do evento e, ao lado do prefeito Wilson Filho, vereadores e secretários municipais, visitou o Hospital Municipal Mamãe Socorro. A unidade será reformada graças à viabilização de recursos pelo mandato do parlamentar. “Os recursos para essa obra tão importante já estão empenhados. Saúde é prioridade em nosso mandato e conseguimos ajudar o município de Rodolfo Fernandes com esta e outras ações”, disse Walter.

“Rogério Marinho assegurou lugar de destaque na história”, diz ministro e ex-presidente do TST

O atual ministro e ex-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra Martins Filho, acredita que o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) “assegurou seu lugar de destaque em nossa história recente”. A afirmação faz parte de um texto de apresentação escrito pelo ministro e publicado no livro “Modernização das leis trabalhistas: o Brasil pronto para o futuro”, de autoria do próprio parlamentar e que será lançado nesta segunda-feira (07) em Natal, na sede da CDL, a partir das 18 horas.

De acordo com Ives Gandra, “essa verdadeira revolução legislativa só foi possível por encontrar no Congresso Nacional um parlamentar que conduzisse o processo de atualização da CLT da forma mais dinâmica e democrática possível, demonstrando, ao longo do tempo, cada vez conhecimento mais profundo e extenso da matéria, a ponto de hoje ser considerado um expert em questões trabalhistas. Esse parlamentar de talento invejável foi o deputado Rogério Marinho”.

Ainda na opinião do ministro, “se hoje o Brasil passa a ter uma legislação trabalhista moderna e detalhada, equilibrada e promotora dos direitos sociais, devemos muito ao deputado Rogério Marinho, que pelo trabalho realizado nessa empreitada de fundamental importância para o desenvolvimento social e econômico de nosso país, assegurou, só por isso, seu lugar de destaque em nossa história recente”.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), também publica um artigo no livro de autoria do tucano potiguar. O democrata afirma que “o brilho intelectual e a habilidade política” de Rogério Marinho “foram indispensáveis para a negociação e aprovação” da modernização das leis trabalhistas. “Mais do que a qualquer outra pessoa, devemos ao deputado Rogério Marinho a aprovação desse texto, que conferiu ao nosso país uma legislação trabalhista moderna”.