Saúde cria Grupo de Trabalho para enfrentamento da sífilis no RN

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) criou um grupo de trabalho para elaboração do Plano de Enfrentamento à sífilis em todo o Rio Grande do Norte, expandindo o trabalho planejado pelo Ministério da Saúde para dois municípios prioritários: Natal e Parnamirim. A decisão partiu de reunião realizada com a participação dos diversos órgãos que lidam com as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

De acordo com a apoiadora do Projeto “Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção”, Chyrly Moura, a primeira reunião do grupo de trabalho está agendada para o dia 10 de maio. Segundo ela, a equipe irá analisar a situação da sífilis no Rio Grande do Norte; ouvir as populações-chave no avanço do problema e elaborar um Plano de Enfrentamento para todo o estado, baseado nos eixos propostos pela pesquisa.

Foram convidados a participar do grupo representantes de 16 áreas técnicas e de Promoção à Saúde, além do Conselho Estadual de Saúde, Coordenadoria de Hospitais (COHUR), Lacen, Unicat e demais articuladores das Regiões de Saúde. O papel do apoiador é estar dentro do território para ajudar na execução do projeto e traçar os planos municipais de combate à sífilis.

Diante da situação epidemiológica que o pais vive com relação à sífilis, o Ministério da Saúde elaborou um projeto Interfederativo de Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção. A UFRN, através do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), vai coordenar este trabalho em todo país. Chyrly é bolsista do projeto e também compõe à área técnica de saúde da mulher da Sesap.

O projeto concentra quatro eixos: Vigilância, com a ampliação de Comitês para investigação da transmissão vertical (da mãe para o bebê) e o fortalecimento das Salas de Situação para o monitoramento da situação epidemiológica; Gestão e Governança, com o fortalecimento de ações intersetoriais no território; Cuidado Integral, com a implementação de linhas de cuidado para a sífilis e intervenção em populações-chave; e, Educomunicação, que visa a realização de Campanhas Educativas e o desenvolvimento de estudos e pesquisas voltados para o enfrentamento e monitoramento da doença.

Deixe uma resposta